Início Arquivo

No capital é que está o lucro

O crescimento do lucro da indústria têxtil chinesa não é tão positivo como se poderia pensar. De facto, verifica-se que a maior parte do lucro das empresas é proveniente de investimentos paralelos e não tanto do seu principal negócio, como realçam os analistas industriais. Wang Qianjin, um analista industrial sénior na Webtextile.com, revelou que o investimento de capital contribuiu quase em metade dos lucros alcançados por muitas das empresas têxteis rentÁveis nos primeiros cinco meses de 2007. Se analisar os números, verifica que muitos negócios de vestuÁrio e algodão, os principais “motores” da indústria têxtil, registaram menos lucros do que em igual período do ano passado», afirmou Wang. Os dados oficiais da National Development and Reform Comission indicam que as empresas têxteis geraram 38 mil milhões de yuan (cerca de 7,6 mil milhões de dólares) em lucros de Janeiro a Maio, um aumento anual de 43,5%. Shi Hongmei, uma analista da Orient Securities Company Limited, assegura, contudo, que as fibras químicas foram o único sector tradicional que esteve melhor este ano do que no ano passado. Muitas empresas têxteis basearam os seus ganhos em capital com investimentos em imobiliÁria, acções, banca e empresas farmacêuticas, afirmou. Citando um relatório anterior da Orient Securities, Shi Hongmei revelou ainda que, na verdade, a indústria registou um declínio tanto nas margens brutas como nas margens líquidas dos lucros no primeiro trimestre do ano passado, para os 10,21% e 3,26%, respectivamente. Os factores que mantiveram os lucros, afirma, foram as matérias-primas relativamente baratas e os preços mais elevados dos produtos finais. Se nos focarmos apenas nos negócios, as empresas têxteis registaram lucros mais fracos e não se podem dar ao luxo de ser optimistas», concluiu Shi Hongmei. Os analistas são unânimes em afirmar que o aumento do lucro não significa um melhor ambiente de negócio para a indústria têxtil. Os custos de produção mais elevados, resultantes dos custos crescentes com o trabalho e as matérias-primas, a concorrência desleal, as guerras de preços, as disputas comerciais e a valorização do yuan são problemas a enfrentar pelo sector. A modernização industrial é essencial se uma empresa têxtil quiser sobreviver», afirmou Wang Qianjin.