Início Arquivo

Nota negativa – Parte 2

As expectativas são pouco optimistas para o actual período de regresso às aulas (ver Nota negativa – Parte 1). Sabendo que as preocupações dos clientes vão estar centradas na questão do preço, na segunda parte deste artigo concentramos a atenção no efeito esperado para o vestuário e calçado. Maior fatia do orçamento Apesar de tudo, há um pequeno sinal positivo: as famílias vão continuar a gastar uma porção maior dos seus orçamentos em roupas e sapatos – 204,67 dólares (cerca de 140 euros) e 93,59 dólares, respectivamente – do que em material escolar genérico (82,62 dólares). «Os americanos vão tentar encontrar as melhores ofertas no regresso às aulas, através dos anúncios nos jornais, promoções on-line e diversas comparações de preços, antes de tomar uma decisão», considera Phil Rist, vice-presidente executivo de iniciativas estratégicas na BIGresearch, que realiza a pesquisa do NRF do regresso às aulas. Rist acrescenta que «este ano, muitos pais esperam começar as compras mais cedo, para distribuir os gastos ao longo de um período de tempo mais longo». No ano passado, os clientes foram tentados por cortes drásticos nos preços, à medida que as lojas procuravam transferir grandes quantidades de mercadorias não vendidas. Mas este ano, com os inventários mais apertados, é menos provável que os retalhistas recorram novamente a descontos tão acentuados. Mudança nas compras À medida que os consumidores mudam o seu comportamento de compra, estão também a mudar o local onde compram. As previsões para a actual estação indicam que as department stores serão as mais atingidas, com 4% menos consumidores a optarem por comprar nestes estabelecimentos, seguidos pelos comerciantes discount e pelas cadeias de lojas. Não surpreendentemente, o grande vencedor no retalho norte-americano deverá ser a cadeia discount Wal-Mart, que iniciou a sua campanha de regresso às aulas em Julho, com uma gama de produtos que incluíam meias e roupa interior e até mesmo sapatilhas a custar apenas 9 dólares. Da mesma forma, o retalhista de calçado Payless ShoeSource Inc colocou o preço dos principais modelos de criança abaixo dos 10 dólares e alargou os tamanhos das crianças para os jovens, chegando ao tamanho 6 (corresponde ao tamanho 38 europeu) em determinados modelos de marca. Mas no mercado norte-americano, existem ainda muitos outros retalhistas que estão focalizados no factor preço, como a Ross Stores, TJX Cos (que opera as cadeias de desconto TJ Maxx e a Marshalls), Kohl’s Corp, Target e JCPenney. Os consumidores podem estar a dizer claramente que não estão com pressa para fazer as suas compras, mas os resultados da pesquisa de mercado desenvolvida pelo NPD tem revelado um factor positivo: a queda nos gastos deste ano não será tão acentuada como a registada no ano passado. «No ano passado, tivemos uma queda ainda maior nas intenções de gasto», refere Marshal Cohen. «Assim, a boa notícia é que a maior queda já ficou atrás de nós. E a notícia ‘não tão má’ é que o regresso às aulas está em consonância com a tendência actual dos consumidores de reduzirem mas não de eliminarem (as despesas)», conclui o responsável.