Início Notícias Moda

Nova marca da H&M aposta na transparência

A Arket, o mais recente membro da família Hennes & Mauritz, está a fazer da transparência online a sua força-motriz. Aproximadamente 10 anos depois de ter começado a alargar o seu portefólio de marcas, a H&M inaugurou há dias a nova cadeia retalhista.

A Regent Street, em Londres, é o primeiro berço da Arket, que aposta ainda na venda online para 18 mercados europeus.

Em sueco, Arket significa “folha de papel”. «Isso relaciona-se com a nossa origem na tradição nórdica de design funcional e duradouro e simboliza a folha em branco, o sentido de otimismo e a possibilidade que sentimos ao criar esta nova marca», explicou à data do anúncio, em março, Ulrika Bernhardtz, diretora criativa da Arket (ver H&M apresenta Arket).

A nova marca do grupo sueco foca-se em produtos essenciais para homem, mulher, criança e casa, sendo particularmente interessante o facto de oferecer também artigos selecionados de outras marcas.

«Acreditamos que é relevante para um cliente moderno reunir marcas diferentes sob o mesmo teto, num único canal – e fazermos essa escolha por ele e também tornar isso mais conveniente», afirmou Ulrika Bernhardtz.

Os produtos Arket têm um preço ligeiramente superior aos da marca H&M (rondam em média os 75 euros), mas mantêm o minimalismo como traço distintivo.

Investida online

A primeira loja física abriu a 25 de agosto, mas a coleção também já está disponível online.

No website, o cliente Arket pode personalizar as compras, escolhendo a categoria (homem, mulher, criança ou casa), mas também a cor e o padrão e, mais interessante ainda, o tipo de material, país e fábrica onde é feito.

A conta correspondente da rede social Instagram da Arket está ainda a ser usada como ferramenta adicional para a descrição e transparência dos produtos, proporcionando mais informações sobre os materiais usados.

Este é um avanço progressivo para a retalhista de moda, que os consumidores da geração millennial certamente apreciarão. Hoje, os consumidores mais jovens afirmam estar dispostos a gastar mais 10% a 15% em roupas produzidas eticamente, segundo Marshal Cohen, analista do NPD Group.

Para responder a estas exigências, a Marks & Spencer no Reino Unido e globalmente a H&M, Adidas e Gap já publicam as suas listas de fornecedores.

Este ano, o grupo H&M deverá abrir 430 novas lojas, incluindo pontos de venda no Cazaquistão, Colômbia, Islândia, Vietname e Geórgia. A Arket é parte integrante de uma estratégia mais vasta para o grupo expandir o seu raio de ação e melhorar os serviços online, numa tentativa de recuperar quota de mercado perdida.