Início Notícias Tecnologia

Nova tecnologia muda o jogo na impermeabilidade

A The North Face está a lançar no mercado os primeiros artigos com uma nova tecnologia que permite criar malhas ou tecidos mais leves, respiráveis e impermeáveis. Batizada Futurelight, a marca acredita que esta inovação vai revolucionar a indústria do outerwear.

Os materiais de performance estão a ter um grande impacto nos mercados de desporto e outdoor e, este mês, a The North Face revelou o que chama de «futuro da indústria de outerwear» com o lançamento de casacos, calças e macacões com a tecnologia Futurelight.

Estas peças de vestuário fazem parte das coleções Summit, Steep e Flight e foram desenvolvidas usando uma «tecnologia de nanofiação [nanospinning] para proteção à prova de água e respirabilidade que é a primeira do género».

A The North Face afirma que o desenvolvimento surgiu «nas montanhas, a partir de requisitos específicos da equipa mundial de atletas da The North Face que procura melhor performance e respirabilidade no seu vestuário impermeável» e que quer reverter a ideia de que «um produto impermeável é desconfortável, pesado e abafado».

A marca trabalhou vários anos num material à prova de água que é «não só suave, leve, flexível e confortável – mas também durável e desenhado de forma sustentável». A investigação, o desenvolvimento de produto e os testes em laboratório e no terreno demoraram três anos.

Atualmente, os artigos finais estão à venda na loja online e nos pontos de venda físicos da The North Face.

Scott Mellin, diretor-geral de desportos de montanha da The North Face, explica, citado pelo WGSN, que «durante demasiado tempo, fomos forçados a adaptar-nos ao nosso vestuário e ao nosso ambiente. Com a introdução da Futurelight, estamos finalmente a oferecer roupa que se adapta às nossas necessidades. A introdução deste material é um momento crucial para a nossa marca, para o futuro da indústria de vestuário e para os consumidores, que não vão ter de sacrificar o conforto ou a permeabilidade ao ar na proteção à prova de água».

Nanotecnologia entra em campo

O processo de nanofiação terá permitido à marca «adicionar uma incomparável permeabilidade ao ar na membrana de um tecido pela primeira vez». Segundo revela no website, a tecnologia «cria fibras de tamanho nanométrico que permitem uma permeabilidade ao ar superior, mantendo a impermeabilidade. Este processo de nanospinning deposita uma solução de poliuretano com mais de 200 000 agulhetas numa superfície, onde é recolhida numa matriz aleatória para criar a membrana. A solução é depois usada para criar uma película respirável e impermeável que é colada ao reforço e ao exterior do tecido».

A The North Face destaca ainda que a tecnologia também dá aos designers a possibilidade de ajustar o peso, a elasticidade, a respirabilidade, a durabilidade, a construção (malha ou tecido) e a textura durante o processo de produção para responder à utilização, atividade ou ambiente dos atletas e consumidores.

O que isso significa na prática é que os designers podem customizar o material através do aumento da respirabilidade das peças de vestuário para fins aeróbicos ou aumentar a proteção para climas mais húmidos e condições extremas.

A marca está a começar com casacos e vestuário de outdoor, mas uma vez que pode agora, teoricamente, tornar qualquer coisa respirável, à prova de água e confortável, acredita que a tecnologia está «a abrir caminho para o futuro dos tecidos técnicos e dá inúmeras possibilidades nas categorias de produto da The North Face».

E com a sustentabilidade a ser cada vez mais uma obrigatoriedade, a marca afirma que pode agora criar peças de vestuário de três camadas com as duas faces externas feitas a partir de 90% de materiais reciclados.

Os produtos foram testados extensivamente pela equipa mundial de atletas da empresa em ambientes como o Evereste e Lhotse, nos Himalaias, em temperaturas entre os -45 ºC e os -51 ºC.

Para promover a nova tecnologia, a The North Face criou uma campanha com atletas de classe mundial, incluindo a capitã da equipa The North Face e montanhista de ski Hilaree Nelson, a snowboarder Leanne Pelosi, o montanhista Jimmy Chin e o corredor Coree Woltering.

«O lançamento da Futurelight é mais do que uma tecnologia têxtil ou um único casaco, tem a ver com um novo paradigma no vestuário e na proteção», sublinha Steve Lesnard, vice-presidente de marketing na The North Face. «Estamos a redefinir as expectativas em relação à proteção aos elementos e a nossa campanha está pensada para demonstrar os benefícios e as novas possibilidades que esta tecnologia vai permitir», conclui.