Início Destaques

Novidades lusas bem recebidas na Heimtextil

A estreia mundial de uma coleção de roupa de cama feita com fios revestidos a cortiça, da autoria da Têxteis Penedo, fibras alternativas, como o aloé-vera, na Mundotêxtil, e a primeira apresentação da coleção de bebé da estreante Polopiqué são alguns dos destaques da comitiva portuguesa na Heimtextil.

Rosário Rodrigues

O primeiro dia da Heimtextil, que abriu portas ontem, 21 de junho, augura bons resultados para vários dos expositores portugueses presentes nesta edição especial da feira de têxteis-lar. À semelhança de outras nacionalidades, também a comitiva lusa é mais pequena, com 26 expositores, em comparação com as edições pré-pandemia – em 2020, ano em que se realizou a última Heimtextil em formato normal, estiveram presentes 78 empresas lusas.

Mas a feira mantém a sua importância e, embora os corredores pareçam mais vazios do que o habitual, os contactos profissionais estão a acontecer.

Ana Vaz Pinheiro

«O feedback que tivemos dos nossos clientes era que muitos queriam [esta feira], estavam com vontade de sair», revela, ao Portugal Têxtil, Ana Vaz Pinheiro, administradora da Mundotêxtil, que está em Frankfurt com um conjunto de novidades que englobam fibras sustentáveis emergentes, como aloé-vera. «É uma feira importante», considera a administradora, acrescentando que «nesta tentativa de retorno à normalidade, sobretudo neste tempo que estamos a viver agora, conturbado e de incerteza, é muito importante estarmos aqui. E tenho pena que não estejam mais empresas portuguesas», até porque, «no passado [os empresários lusos] lutaram tanto para Portugal ter um lugar de destaque e, de repente, as grandes empresas não vieram e deixamos cair [essa posição]».

Uma situação que Ana Vaz Pinheiro lamenta. «Fiquei com pena. Se calhar era uma oportunidade que não devíamos ter desperdiçado enquanto empresas e sector», acredita.

Uma oportunidade que a Marizé, presente pela terceira vez, decidiu não desperdiçar. «Já tínhamos as coisas minimamente orientadas e, visto que o mercado está um bocado instável, deixar de vir pareceu-nos ainda mais arriscado. Optámos por vir e esperamos que corra bem», explica Rui Novais, diretor operacional da empresa, que para já não se arrepende da decisão.

Rui Novais

«Achamos que está menos movimentado do que o normal, tem menos stands, mas até à data [no primeiro dia] já temos tido alguns contactos, visitas com potencial e alguns clientes que já trabalham connosco», confessa.

Estreias mundiais

Na Têxteis Penedo, esta edição da Heimtextil, que no total acolhe cerca de 1.000 expositores – os dados oficiais da Messe Frankfurt falam em cerca de 2.300 expositores no conjunto da feira de têxteis-lar, da Techtextil, dedicada aos têxteis técnicos e não-tecidos, e da Texprocess, vocacionada para as tecnologias de processamento de materiais flexíveis, sendo que estas duas últimas contabilizam mais de 1.300 expositores – está até a surpreender. «Tinha previsto trazer só dois comerciais, optei por trazer os quatro e não pararam toda a manhã», indica Xavier Leite, presidente da Têxteis Penedo.

Para este movimento está a contribuir sobretudo a estreia mundial da coleção de roupa de cama produzida com fios revestidos a cortiça. «Tem tido uma aceitação louca», reconhece Xavier Leite, que admite que está «surpreso com os primeiros contactos que já tivemos aqui, inclusivamente contactos novos que não se fizeram anunciar e com os quais não estava a contar».

Xavier Leite

Já a Polopiqué é, ela própria, uma estreia. «Há cerca de um ano, a Polopiqué decidiu fazer uma aposta mais forte na área dos têxteis-lar», conta Rosário Rodrigues, diretora de vendas da empresa. Face à «recetividade interessante» à coleção desenvolvida junto dos clientes, «começámos a trabalhar com projetos específicos desses clientes e outros novos que fomos angariando», sendo o passo seguinte a apresentação em Frankfurt. «Pareceu-nos que fazia todo o sentido, nesta altura do campeonato, participar na Heimtextil», assume a diretora de vendas.

Mesa, cozinha, cama e homewear fazem parte da oferta de têxteis-lar da empresa, que na feira alemã está ainda a mostrar, pela primeira vez, uma coleção de bebé. «Estamos muito contentes. Este primeiro dia temos tido muitos clientes de várias áreas de produto, de várias nacionalidades e a recetividade à nossa coleção tem sido muito boa», resume Rosário Rodrigues.

Estas novidades e outras, das mais de duas dezenas de expositores nacionais, estarão em Frankfurt até ao dia 24 de junho.