Início Notícias Moda

O altar do Met

O Metropolitan Museum of Art recebeu, esta segunda-feira, em Nova Iorque, os corpos celestiais da moda. Naquele que foi considerado pela crítica o tema mais ousado dos últimos anos, os convidados estiveram à altura das exigências de indumentária, mais ou menos próximos do céu.

Rihanna

Na primeira segunda feira de maio, a moda vai ao museu. A visita de estudo repete-se anualmente, mas o tema muda todos os anos para, simultaneamente, exercitar a criatividade dos convidados e abrir as portas da indústria.

Lily Collins

Depois de uma viagem ao universo criativo de Rei Kawakubo, no ano passado, “Corpos celestiais: a moda e a imaginação católica” foi o tema da gala de beneficência do Metropolitan Museum of Art de 2018, que antecedeu a abertura da exposição de moda do Costume Institute. A anfitriã foi Anna Wintour, a editora da Vogue norte-americana, e a inauguração da exposição ficou nas mãos de Rihanna, Amal Clooney e Donatella Versace.

Inicialmente, a ideia para a exposição era explorar a relação da moda com cinco religiões – islão, budismo, hinduísmo, judaísmo e catolicismo –, mas o curador do Costume Institute, Andrew Bolton, decidiu focar-se apenas nesta última, explicando, em declarações ao Observer, que cerca de 80% dos artefactos modernos da moda ocidental foram inspirados pelo catolicismo e que muitos dos grandes designers de França, Itália e Reino Unido nasceram e cresceram sob a influência da Igreja Católica.

Blake Lively

O catálogo da exposição conta com uma introdução do cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura no Vaticano, que recorda a passagem do livro do Génesis em que Deus faz a Adão e Eva “túnicas de peles” para vesti-los. Em dois volumes, o catálogo inclui obras de nomes como Cristobal Balenciaga, Domenico Dolce e Stefano Gabbana, John Galliano, Jean Paul Gaultier, Madame Grés, Christian Lacroix, Karl Lagerfeld, Jeanne Lanvin, Claire McCardell, Thierry Mugler, Elsa Schiaparelli e Gianni Versace.

A exposição integra 150 peças e tem como modelo central o traje papal, cedido pela sacristia da Capela Sistina.

Cruzada de moda

Muitos dos convidados – segundo o New York Times, um bilhete para a gala do Met custa cerca de 30 mil dólares (aproximadamente 25 mil euros) – seguiram o tema à letra, destacando-se, entre os preferidos pelo portais da especialidade, os coordenados de Rihanna, Madonna, Lily Collins, Blake Lively e Olivia Munn.

Kate Bosworth

O modelo escolhido por Rihanna foi, claramente, inspirado pelo traje papal e assinado por John Galliano para a Maison Margiela. De acordo com uma publicação da marca na rede social Instagram, o coordenado de três peças demorou 250 horas a ficar pronto.

Madonna escolheu um vestido preto de Jean Paul Gaultier – o rosto foi tapado com uma rede, na cabeça levava uma coroa dourada carregada de cruzes e, ao peito, terços.

Em preto pisou também a passadeira vermelha a atriz Lily Collins, em Givenchy, que usou um terço nas mãos como acessório-chave.

Katty Perry

O vestido de corpete cravejado com pedras preciosas e de cauda longa cor de vinho de Blake Lively, considerado um dos mais criativos, envolveu 600 horas de trabalho e foi assinado pela casa Versace.

Olivia Munn, num vestido dourado H&M inspirado pelas cruzadas, capturou as atenções dos presentes pela sensualidade.

Ainda em destaque estiveram os looks de Cara Delevingne em Christian Dior, Naomi Watts em Michael Kors e Kate Bosworth em Oscar de la Renta.

Anjos caídos

Salma Hayek

Em destaque no grupo que menos agradou aos críticos surge Katty Perry, em Versace. A cantora foi uma das convidadas que interpretou o tema do evento de forma mais literal – surgindo de anjo, com as devidas asas, que lhe valeram críticas e sátiras nas redes sociais. Sarah Jessica Parker, fiel ao imaginário católico em Dolce & Gabbana, terá caído no exagero.

Tracee Ellis Ross, num look cor de rosa choque assinado pela Michael Kors, não poderia estar mais afastada do tema anual Já a atriz Salma Hayek, também à deriva, optou por um vestido Atuzarra demasiado informal.

Este ano, a gala do Met recebeu 700 convidados.