Início Arquivo

O flagelo das importações ilegais

O consumo público de importações têxteis ilegais aumentou para 70,6% no ano passado, dos 49,9% registados em 2006, custando à indústria indonésia milhões de euros, segundo revelou um responsÁvel da ITV do país. De acordo com os dados compilados pela associação da indústria têxtil indonésia – API –, o consumo interno aumentou para as 1,22 milhões de toneladas no ano passado, das 1,013 milhões de toneladas em 2006 e 836 mil toneladas em 2005. Estes artigos são muito provavelmente ilegais porque os empresÁrios não são obrigados a provar a legalidade dos seus produtos», revelou o presidente da API, Benny Soetrisno, no lançamento do novo site da associação em Jacarta. E o número destas importações ilegais tem aumentado nos últimos três anos. Precisamos de agir contra isto rapidamente», afirmou. O presidente estima que no ano passado a indústria perdeu 4,8 mil milhões de dólares (cerca de 3,098 mil milhões de euros) em volume de negócios devido às importações ilegais. A indústria facturou 1,67 mil milhões de dólares em vendas domésticas registadas. Entre Janeiro e Março de 2008, as importações de produtos têxteis totalizaram 721 mil toneladas, avaliadas em 1,2 mil milhões de dólares, enquanto que as exportações se ficaram pelas 475 mil toneladas, no valor de 2,6 mil milhões de dólares. é desmotivante o facto do nosso mercado continuar alagado de produtos ilegais, porque só em Java hÁ um mercado massivo para produtos têxteis locais. Em vez disso, o nosso mercado estÁ a ser tomado por produtos ilegais, e pequenas e médias empresas têxteis têm de reduzir os postos de trabalho, falharem no pagamento dos seus empréstimos ou até encerrar completamente», afirmou Soetrisno. O presidente afirma que a associação vai pedir ao governo para limitar o número de portos de mar onde os navios com artigos importados podem atracar. Dessa forma, as alfândegas terão um trabalho mais simplificado para apanhar estes importadores ilegais porque o seu escrutínio pode ser mais concentrado», considera. Actualmente, só em Java, hÁ seis portos que recebem artigos importados. Ao desencorajar as importações ilegais, os números gerais das importações irão provavelmente cair em 50%. Espero, por isso, que não passem mais importações ilegais pelos portos oficiais. Banir totalmente as importações ilegais não serÁ provavelmente possível porque ainda hÁ pequenos portos», considera Soetrisno. Soetrisno afirma igualmente que o governo poderia também proteger os produtores têxteis do país com o aumento da taxa de importação em 10%, para um total de 20%, para reduzir as importações. Não importa se não formos um país de comércio livre, o que precisamos agora é de um país que controle o comércio para proteger os interesses nacionais». Gunaryo, o director de desenvolvimento de mercado e distribuição do Ministério do Comércio, afirmou que o governo tem levado a cabo diversas campanhas para persuadir o público a comprar produtos “Made in” Indonésia. Com a flutuação nos preços do crude e o aumento dos preços dos serviços, a nossa intervenção de mercado na indústria têxtil não vai ser tão feroz», afirmou Gunaryo. Contudo, de acordo com os dados do Ministério do Comércio, a indústria têxtil continua a crescer a bom ritmo, com as exportações do primeiro trimestre deste ano a aumentarem 4,6%, para os 2,524 mil milhões de dólares. Apesar disso, a associação reviu em baixa o objectivo de crescimento de 2008, dos 11,4% para os 10,7%, tendo em conta os recentes aumentos nos preços dos combustíveis.