Início Notícias Vestuário

O lado verde da roupa interior

Seja através de matérias-primas recicladas ou da aposta em processos produtivos que poupem água e energia, os fornecedores estão a adaptar-se às exigências das marcas e consumidores, que apelam por mais artigos ecológicos. A tendência está a chegar ao segmento da roupa interior.

Warp + Weft

As marcas e os consumidores estão a tornar-se mais exigentes acerca do vestuário que vendem e usam, respetivamente, no que concerne as questões ecológicas e os fornecedores de têxteis e fibras procuram corresponder às expetativas, noticia o Sourcing Journal.

A Roica, especialista japonesa em fibras inovadoras à base de elastano, encoraja os produtores, designers e marcas a construir o seu portefólio de artigos combinando criatividade e responsabilidade para um consumidor contemporâneo. «Cada marca parceira traz uma história diferente de um fio para o centro das atenções e todos contam com os ingredientes do portefólio de fibras da Roica, que respeitam o compromisso da empresa para com uma inovação responsável e com importantes certificações sustentáveis», garante a empresa.

A Roica colaborou com a Cosabella, para desenvolver peças que incorporam uma delicada renda floral, produzida pela Tessitura Colombo Antonio, feita com a fibra Roica V550, que faz parte da família de têxteis Eco-Smart. Esta gama foi criada a partir de fibras de elastano premium, produzidas de forma sustentável, que contam com certificação Global Recycled Standard da Textile Exchange. Além disso, têm ainda a certificação Gold Level da Cradle to Cradle.

A empresa japonesa também trabalhou com o grupo Iluna, para conceber uma renda com o elastano reciclado Roica EF para a sua linha de roupa íntima Bellagio.

Do denim à roupa interior

Já a Warp + Weft lançou roupa interior sustentável este mês, no seguimento da escolha estratégica de matérias-primas da marca para o denim. Depois de testar os jeans em todos os tipos de corpo, a fundadora Sarah Ahmed reparou que os consumidores começaram a ter problemas com a forma como a roupa interior lhes assentava e, ainda, que as mulheres queriam um têxtil fosse macio, absorvente e prático para o quotidiano.

Roica

Todo o feedback foi tido em consideração, de forma a «criar roupa interior que poderá servir os consumidores da mesma forma que os nossos jeans servem – incluindo o ajuste maravilhoso e o têxtil luxuoso, usando a mesma tecnologia sustentável do nosso denim», revela Sarah Ahmed.

A nova linha de roupa interior foi desenvolvida com 95% de fibra modal e 5% de elastano. Sarah Ahmed explica que isso permite «que a roupa íntima seja respirável, durável e não encolha». Além disso, as peças incluem a tecnologia seamless.

Alternativas e qualidade idêntica

As fibras celulósicas liocel e modal controlam naturalmente a humidade, contribuindo para o desenvolvimento de têxteis respiráveis que garantem um ambiente menos favorável ao desenvolvimento de bactérias, segundo a produtora de fibras Lenzing.

Derivadas de uma fonte renovável, a madeira, e fabricadas a partir da tecnologia Eco Soft, as fibras celulósicas Tencel Intimate «abraçam o corpo com uma suavidade duradoura, para ajudar a pele a sentir-se bem durante o dia e a noite», afirma a Lenzing. «Resultado da superfície da fibra, as fibras celulósicas Tencel Intimate oferecem uma suavidade que cria a sensação que o produto nem sequer está lá», acrescenta a empresa austríaca.

Creora

Por sua vez, a linha Creora da Hyosung conta agora com matérias-primas da linha ECO-nomy, que são 100% poliamida reciclada pré-consumo, o que faculta a economia energética. A produtora de fibras sul-coreana desenvolve ainda a fibra Mipan Regen, a partir de 100% poliéster reciclado pós-consumo, e também o elastano Creora Black, que permite a poupança de água.

A Lycra Company também conduziu a sustentabilidade para um nível mais elevado, incorporando inovações e alternativas amigas do ambiente na sua gama de fibras. Recentemente, a Lycra lançou a fibra de elastano Eco Made T400, derivada de poliéster reciclado pós-consumo, para as suas marcas Coolmax e Thermolite.

No mês passado, a Eastman Chemical Company introduziu a linha Avra, de fibras de performance recicladas, transformando a sua tecnologia de produção de poliéster reciclado A nova linha Avra oferece tempos curtos de secagem e conforto, à semelhança dos produtos da gama em poliéster virgem, ao mesmo tempo que ajuda a reduzir os desperdícios, já que aproveita garrafas de plástico pós-consumo. «A Eastman Textiles acredita que todas as inovações devem ser sustentáveis», sublinha Ruth Farell, diretora de marketing da empresa.

A linha Avra constitui uma família de fibras de performance criadas a partir de uma tecnologia de extrusão própria. A capacidade de controlo da humidade e da temperatura garantida pelas fibras Avra significa que os têxteis resultantes secam 50% mais rápido do que os convencionais em poliéster, proporcionando simultaneamente maior suavidade e conforto.

A fio EcoCare da Nilit, por seu lado, elimina as fases do processo produtivo que consomem mais energia, conservando recursos, enquanto o polímero reciclado permite a fiação de fios de alta qualidade, que mantêm as mesmas propriedades das fibras virgens. «Ao produzirmos os nossos fios reciclados EcoCare conservamos os recursos. O nosso procedimento altamente eficiente reduz o consumo de água e energia em relação às práticas habituais», garante a empresa.