Início Arquivo

O renascer da fiação

Na edição de novembro do Jornal Têxtil, conheça os novos projetos de fiação da Mundifios, apresentados em discurso direto pelo administrador Joaquim Fernandes, e da Polopique, assim como a estratégia implementada por empresas como a Tearfil para dar valor acrescentado à produção feita em Portugal. Fique ainda a par das principais tendências para os fios, desde a moda e práticas sustentáveis às matérias-primas e inovação. Também a Burel Factory mantém a aposta na história e no saber-fazer nacional, tendo alargado recentemente o portefólio de produtos para o lar, enquanto a D’Alfaiate partiu desse know-how para produzir verdadeiras peças de alfaiataria para os mais pequenos. A Gierlings Velpor, por seu lado, tem novas tecnologias que prometem conquistar ainda mais clientes, enquanto a Têxtil de Serzedelo está a investir na expansão internacional, assim como a marca portuguesa Concreto, que depois da consolidação no mercado nacional se prepara para voos internacionais. Esta vontade de crescer além-fronteiras está, de resto, a levar as empresas portuguesas a aderir à simbologia para tratamento de vestuário da Ginetex, segundo a Anivec/Apiv, que é a entidade responsável em Portugal pelo licenciamento. As marcas portuguesas continuam também a surpreender, desde o relançamento da mítica Pacific Sud e a aposta nas vendas pela Internet da marca de acessórios Sofia Godinho até à renovação e novos projetos da Mike Davis que, juntamente com a retalhista Primark, animou os últimos dois meses no NorteShopping. Presente em mais de 50 países, a Parfois tornou-se uma referência da moda nacional, com os seus acessórios acessíveis e trendy a ganharem adeptas em todo o mundo. Sérgio Marques, diretor-geral da marca, revela, em entrevista, os planos de crescimento e as estratégias para conseguir tornar a Parfois na melhor marca de acessórios nos mercados onde está implantada. Fique ainda a par das novidades e dos resultados dos certames Texworld, Apparelsourcing e Modamont, assim como das tendências da Heimtextil para vestir a casa em 2016/2017. E por falar em tendências, não perca as primeiras pistas do WGSN sobre as cores que vão pintar a moda no outono-inverno 2015/2016. Para quem quer ficar a conhecer com que “números se cose o sector”, as páginas dedicadas à conjuntura são obrigatórias, assim como os artigos dedicados à indústria italiana, aos não-tecidos na Índia, aos estudos do Euromonitor sobre o poder das “estrelas” da música e do cinema no consumo e da Organização Mundial do Comércio sobre, precisamente, o comércio mundial. O Jornal Têxtil de novembro revela ainda as inovações que estão a marcar o panorama internacional, como o estudo de viabilidade com sensores têxteis que prometem evitar muitos acidentes nas estradas, os novos fatos espaciais e as oportunidades de crescimento nos materiais compósitos. Tudo isto e muito mais na sua edição de novembro do Jornal Têxtil. Se ainda não é assinante, esta é a altura certa para fazer a sua subscrição (cliqueaqui) e passar a receber, todos os meses, a informação essencial da indústria têxtil e vestuário em Portugal e no mundo.