Início Notícias Gerais

O sonho de inovação americano

Os fundos destinados ao financiamento desta iniciativa serão de origem pública e privada em partes iguais, destinadas à «investigação, criação de protótipos e comercialização de fibras com propriedades diferenciadoras». Este núcleo têxtil surge no âmbito de um programa governamental mais amplo, denominado Rede Nacional para a Inovação na Produção (NNMI na sigla original), que incluirá diferentes indústrias, tendo sido concebido para acelerar o desenvolvimento e adoção de estratégias produtivas de vanguarda. Este projeto irá colmatar o défice de inovação existente entre os estágios primários de investigação e subsequente desenvolvimento de produto, aproximando as empresas, instituições académicas e agências federais. A atividade do instituto estará focada no desenvolvimento de fibras e tecidos com propriedades inovadoras, considerando aspetos diferenciadores como a leveza dos tecidos e a resistência ao fogo, a resistência mecânica e a inclusão de sensores eletrónicos. Com um amplo espectro de aplicações, estes têxteis técnicos poderão solidificar as bases dos equipamentos de proteção desenvolvidos para bombeiros, resistentes às mais elevadas temperaturas, replicar as capacidades sensoriais de um relógio inteligente num tecido leve ou detetar quando um soldado ferido necessita de ser socorrido com uma ligadura de compressão antibacteriana. A Casa Branca emitiu um comunicado no qual sugere que, depois de mais uma década de decréscimo constante do sistema produtivo americano, a indústria têxtil do país está agora a reforçar o número de postos de trabalho pela primeira vez em duas décadas, aumentando em praticamente um quinta o número de remessas desde o período da recessão e dilatando o valor das exportações em 45% desde 2009. A criação deste novo instituto dedicado à inovação do sector produtivo é a nona iniciativa deste âmbito anunciada pela administração Obama até à data e procura «aproveitar o crescendo que se vive na indústria têxtil americana para construir as fundações para uma futura liderança na produção de fibras sofisticadas e têxteis tecnológicos». No âmbito de outras iniciativas anunciadas recentemente pelo governo americano, serão atribuídos 320 milhões de dólares a 12 estados do país nos próximos cinco anos, numa competição público-privada que promove o estabelecimento de parcerias para a extensão da produção, tendo em vista o apoio a pequenas unidades produtivas na melhoria dos seus processos, atualização das suas capacidades tecnológicas e lançamento de novos produtos no mercado. Em paralelo, será também lançada a Iniciativa de Inovação na Cadeia de Aprovisionamento, que fomentará a criação de parcerias através das cadeias de fornecimento como uma forma de acelerar a adoção de tecnologias de vanguarda, incentivará ao fortalecimento dos laços entre as várias cadeias domésticas e melhoramento do design do produto e processos de engenharia utilizados. A inovação é encarada como uma ferramenta essencial ao desenvolvimento do sector produtivo americano e a criação de infraestruturas capazes de fomentar o desenvolvimento de processos diferenciadores e sustentáveis no longo prazo, que fortaleçam o futuro da indústria do país, tem sido uma das prioridades da administração Obama, que inicia agora o último ano de mandato.