Início Arquivo

Olmac: 2005 será o melhor ano de sempre

A Olímpio Miranda Lda – Olmac é uma empresa de confecções de raiz familiar, localizada em Famalicão, com 25 anos de existência. Começou a sua actividade efectuando serviços de subcontratação para grandes empresas, apostando na qualidade, quer das matérias-primas, quer da confecção, estando, no entanto, sempre atenta à envolvente e às novas oportunidades.   

Orlando Miranda, um dos administradores da empresa, falou com o Portugal Têxtil (PT) acerca da nova fase que a empresa atravessa, marcada pela criação da marca Myükÿ, em Abril deste ano. «Creio que este projecto surgiu no momento certo, uma vez que a empresa tem tido sempre uma evolução positiva, sendo que o ano de 2005 será o melhor ano de sempre. É uma marca vocacionada para a juventude, que transmite jovialidade, alegria e irreverência, e que funciona como uma forma de contacto com novos clientes e abertura a novos mercados, pretendendo reflectir a nossa capacidade ao nível da criação e do desenvolvimento do produto», afirmou Orlando Miranda. Neste contexto, o responsável da empresa afirmou que «já existem diversos contactos com clientes estrangeiros, que já viram a colecção, solicitaram amostras para serem transformadas à imagem própria das empresas. Estes contactos têm prosseguido de uma forma que perspectiva boas oportunidades de negócio».

Com a Myükÿ, numa primeira etapa, Orlando Miranda pretende estabelecer-se no mercado nacional, «mas num segmento médio-alto, apesar de estarmos conscientes das dificuldades, em termos de concorrência. Posteriormente poderemos tentar novos mercados, nomeadamente o espanhol». Assim, a Olmac pretende estar presente, ainda em 2006, no Modtissim, e na SIMM, em Madrid, estando também a considerar, para 2007, uma participação na CPM, em Moscovo.

No entanto, segundo o nosso interlocutor, tudo depende da próxima colecção de Inverno, que está a ser trabalhada por uma jovem estilista. «Considero que a colecção de Inverno vai ser muito importante para a marca, porque é mais elaborada, mais requintada. Será um teste, para que no próximo Verão possamos ter uma atitude mais agressiva em termos de mercado».

Comentando a situação do sector, Orlando Miranda defende que a indústria têxtil e do vestuário está em crise, muito por culpa dos próprios empresários, que não se renderam à inovação e modernização. «Na década de 90, os empresários não investiram em inovação, na perspectiva de uma internacionalização e na criação de marcas, portanto agora há que tentar contrariar os efeitos desta situação adversa, pois não podemos estar eternamente dependentes de outros mercados». Para além disso, acrescenta que os empresários têm que pensar na criação de sinergias e parcerias, abandonando a atitude individualista.

Foi aliás essa uma das ideias que Orlando Miranda defendeu com mais convicção no balanço que fez após a sua visita à China, integrado na recente Missão Empresarial promovida pela ANIVEC/APIV, a que o PT já fez referência.

Em relação ao futuro, Orlando Miranda afirma que a política e filosofia da empresa vai manter-se, tendo sempre em vista um crescimento sólido e sustentado.

 

A Olmac tem 105 trabalhadores e prevê, para 2005, uma facturação de 6 milhões de euros. A exportação representa cerca de 70% da sua produção, e os mercados mais relevantes são a Suiça, o Reino-Unido e a Holanda.