Início Notícias Têxtil

One Way Tex no caminho da diversificação

A especialista em tecido denim virou-se agora para outro tipo de produtos, depois de encetar uma parceria com uma empresa chinesa.

Só o denim já não chega para a One Way Tex. A empresa famalicense fundada por Sebastião Nogueira tem perto de 10 anos de vida e está a entrar numa nova fase, mas sempre com os olhos postos no seu core business. «Não somos fabricantes, fazemos todo o tipo de transformações no produto, essencialmente para empresas que confecionam jeans, mas não só», admitiu o CEO.

Chegada a esta fase, a empresa percebeu que tinha que diversificar a atividade. E, com a ajuda de um parceiro chinês, está a desenvolver uma nova linha de produtos. «Não é da área do denim, vamos avançar para produtos em poliéster, viscose, algodão, estampados», adiantou o empresário.

Para Sebastião Nogueira, a prioridade é reduzir o peso excessivo de apenas um segmento de negócios. «Damo-nos por contentes por não depender de um, dois ou três clientes e sim de muitos. Isso é essencial. E queremos fazer o mesmo nos produtos, não depender só de uma base, porque hoje a tendência é mais A ou B e sim pensar que amanhã isto muda mais rápido do que se possa pensar», explicou.

O CEO da empresa de Famalicão garantiu que a ganga tem cada vez mais aplicações, até em segmentos pouco usuais. «Há uma grande tendência para o denim, incluindo no pronto a vestir mais formal», apontou Sebastião Nogueira, mas mesmo assim acredita que o futuro está em aumentar as categorias de produtos e serviços.

Para este ano, a One Way Tex tem como prioridade manter o equilíbrio. «Viemos de um período de três ou quatro anos a crescer. O que pretendemos é estabilizar e poder fazer alguma seleção de fornecedores, clientes, e com essa seleção, continuar», afirmou o CEO. «Não temos grandes ideias de crescer e continuar a crescer. Isso obrigava a aumentar a dimensão, trazia mais responsabilidade e não temos também instituições em Portugal que nos apoiem nesse crescimento. Há muitos bloqueios ao crescimento», salientou. O empresário detalhou que os impostos e a falta de acesso ao crédito estão entre os principais obstáculos, acrescentando que os bancos não estão ainda com boas condições para empréstimos às empresas.

O volume de negócios da One Way Tex ronda os quatro milhões de euros, indicou Sebastião Nogueira, assegurando que a estratégia para o futuro passa pela manutenção desse valor, mas não só. «Não estamos preocupados em manter a faturação e sim em diversificar o negócio. E melhorar margens, o que não é fácil», concluiu.