Início Notícias Tecnologia

Origin aposta na produção de PET carbono negativo

A empresa de materiais já selecionou o local para a construção da primeira unidade produtiva de escala mundial de PET com pegada negativa de carbono. A Origin 2, como foi batizada, ficará localizada no Louisiana, EUA, e terá a capacidade anual de converter um milhão de toneladas de resíduos de madeira em produtos finais.

[©Origin Materials]

A nova unidade da Origin Materials irá produzir materiais carbono negativos para produzir Polietileno Tereftalato (PET), que é usado em têxteis, vestuário, embalagens e outras aplicações, assim como carbono hidrotermal, que pode ser usado em pellets de combustível, como carbono ativado e como substituto de carbono negro. Segundo a empresa, a tecnologia patenteada pode transformar carbono de resíduos de madeira sustentável em materiais úteis, ao mesmo tempo que captura carbono no processo.

John Bissell [©Origin Materials]
«A Origin está entusiasmada por anunciar este investimento na produção sustentável com o Governador do Louisiana», afirma John Bissell, co-CEO da Origin. «O talento local é de classe mundial ao nível da refinaria, floresta e agronomia, logística e químicos. A localização é na margem do Rio Mississippi com fácil acesso a barcaças e ferrovias e abundante acesso a resíduos de madeira locais. O pacote de incentivos para construir na área é apelativo e o cluster industrial local pode dar acesso a hidrogénio, etileno, tratamento de águas e mais», enumera.

60 hectares e 500 milhões de dólares

A nova unidade em Geismar, no Louisiana, EUA, irá ocupar cerca de 60 hectares e anualmente irá converter um milhão de toneladas de resíduos de madeira em produtos para vários mercados finais, estimando-se que fique operacional em meados de 2025.

Os incentivos estatais e locais, que têm ainda de ser confirmados, estão estimados em mais de 100 milhões de dólares (cerca de 90,3 milhões de euros), a que se deverá somar a alocação de fundos do Private Activity Bond – que são títulos isentos de impostos para o financiamento de projetos qualificados com capital privado – do estado do Louisiana, no valor de 400 milhões de dólares.

[©Origin Materials]
A nova unidade será, segundo John Bissell, «instrumental para responder à procura dos nossos produtos nos EUA e internacionalmente», sobretudo numa altura em que «a procura por materiais que permitam um resultado líquido zero é extremamente forte».

A empresa está atualmente a construir a Origin 1, uma unidade mais pequena, que deverá ficar concluída até ao final de 2022 e começar a produção no início de 2023.