Início Notícias Têxtil-Lar

Os benefícios do índigo natural

Chama-se Aizome Bedding e utiliza apenas o índigo natural para tingir os seus produtos. Fundada há cerca de um ano no Japão, a empresa garante que a sua roupa de cama é ideal para pessoas com pele sensível e alergias e promete uma experiência de sono «mais saudável».

A Aizome Bedding, criada há cerca de um ano por Michel May no Japão, pretende levar os benefícios dos tradicionais tecidos nipónicos tingidos com índigo natural para a roupa de cama. A startup lançou uma linha de luxo, orgânica, para propiciar uma experiência de sono «única e saudável», assegura o fundador, citado pelo Sourcing Journal.

A linha da Aizome Bedding conta com fronhas de almofadas, lençóis e capas para edredões, dos mais variados tamanhos, produzidos com apenas dois materiais: algodão orgânico e índigo natural. «Os nossos tecidos são produzidos apenas com plantas. Isto inclui também o tingimento, que provém a 100% da planta do índigo», revela May. «Graças a isso, os nossos tecidos são hipoalergénicos, antibacterianos, macios e ideais para pessoas com pele sensível e alergias», garante.

Índigo, o preferido dos samurais

O índigo é conhecido há séculos pelas suas propriedades amaciadoras. Michael May recorda que, no Japão, os produtos tingidos com índigo natural eram usados pelos samurais debaixo da armadura, bem como comummente escolhidos para envolver recém-nascidos, já que estes têm uma pele particularmente sensível.

Além das propriedades do índigo natural, houve outra razão para o empresário abandonar a sua carreira no sector da saúde e focar-se no desenvolvimento de roupa de cama tingida com índigo. «O impulso inicial para trabalhar nesta área aconteceu quando a minha mãe estava a recuperar de quimioterapia e a sua pele reagia muito mal aos seus lençóis de cama», recorda. «Até esse momento, nunca tinha ouvido falar dos químicos presentes na roupa de cama ou poderia de alguma forma imaginar que estes têm cocktails de resíduos perigosos de formaldeído, retardadores de chamas e metais pesados. Tudo isto está presente em artigos que são essenciais para a nossa saúde. Ainda que amasse o meu trabalho, cheguei à conclusão que temos que ir mais além para prevenir doenças sérias, em vez de apenas lucrar dos tratamentos», explica.

Processo ecológico e inovador

Os efeitos prejudiciais do índigo sintético no meio ambiente são amplamente conhecidos. No entanto, Michael May sublinha que a Aizome Bedding tinge através de um processo sustentável. «Enquanto que os tingimentos químicos expõem a pele a materiais sintéticos tóxicos, os tingimentos naturais dependem maioritariamente de plantas. Além disso, na produção de tecidos, cerca de 85% da água é utilizada no processo de tingimento. A maior parte não apenas é desperdiçada, como também tinge rios e lagos por todo o mundo com tonalidades definidas pela indústria da moda. Na Aizome Bedding usamos toda a água para fertilizar terrenos agrícolas, completando um ciclo de produção natural», afirma.

A desvantagem mais associada aos tecidos tingidos naturalmente é que, normalmente, ou perdem a cor ou tingem outros produtos. Contudo, a Aizome Bedding desenvolveu uma técnica para combater estas dificuldades. «Esta é uma das grandes preocupações que as pessoas têm em relação a tingimentos naturais. Resolvemo-la ao utilizar uma tecnologia inovadora. É um processo complexo, mas, simplificando, podemos dizer que utiliza as ondas sonoras de uma máquina que é mergulhada nos corantes líquidos. Essas ondas aceleram as moléculas de coloração para que estas penetrem profundamente no tecido», esclarece.

Nos testes de laboratório, os tecidos da Aizome Bedding conquistaram os resultados mais altos da categoria ISO de fixação da cor. Além do mais, a roupa de cama é feita com algodão de um fornecedor com certificação GOTS e é tingida numa fábrica com certificação OEKO-TEX, aponta o empresário.

Os artigos da Aizome Bedding estão atualmente disponíveis na plataforma Kickstarter, onde a empresa promove o seu carácter ecológico e os benefícios para a saúde advindos dos seus artigos. Michel May adianta que há mais produtos a caminho. «Estamos a planear introduzir uma nova gama de produtos, que estão em contacto próximo com a nossa pele e contribuem para a nossa saúde. Ainda somos uma pequena startup, mas queremos crescer para uma posição onde poderemos realmente fazer a diferença», admite.