Início Notícias Marcas

Os destinos da Phi Clothing

Os destinos paradisíacos têm recebido as coleções da Phi Clothing de braços abertos, com a marca de vestuário para mães e filhas a destacar Martinica, Mónaco, San Marino e Dubai entre os principais mercados de exportação.

Ainda que o Reino Unido e Itália sejam os melhores destinos de exportação da Phi Clothing, que expede 75% da produção além-fronteiras, 2017 foi um ano de viagens para as propostas da marca.

«O ano passado foi muito bom porque conseguimos entrar em mercados importantes para nós, como a Rússia e o Japão e, também, no Líbano, Martinica, Mónaco e San Marino», revela, ao Portugal Têxtil, Filipa Moreira, fundadora da Phi Clothing. «Por exemplo, no Dubai, onde já estávamos, entrámos agora numa empresa que cobre todos os países daquela zona», aponta.

Atualmente, a Phi Clothing conta com mais de 100 clientes ativos, a sua maioria retalhistas multimarca, com um número muito reduzido de portugueses. «Neste momento, o mercado nacional não é prioritário em termos de expansão», indica Filipa Moreira, ressalvando que a Phi Clothing mantém a loja própria em Coimbra, onde a marca está sediada.

Da cidade dos estudantes para o mundo, a Phi Clothing tem vindo a explorar os atalhos do online, entre o portal de comércio eletrónico próprio e as contas nas redes sociais. Só no Facebook são mais de 100 mil seguidores.

Os coordenados “mix and match” para mãe e filha são, ao lado dos muitos modelos de tapa-fraldas, os trunfos das coleções, destacadas pela estética «romântica com um toque vanguardista». A grande maioria dos tecidos é 100% algodão, com o algodão orgânico em crescendo dentro das propostas da Phi Clothing.

«No estrangeiro, o “made in Portugal” é muito bem visto», afirma Filipa Moreira, que tem vindo a recolher esse feedback nas participações da Phi Clothing em salões internacionais.

O salto da internacionalização foi dado na Bubble London, Inglaterra, seguindo-se depois a Pitti Bimbo, Itália, salão ao qual a Phi Clothing regressou em janeiro último.

«Foi a nossa 5.ª participação na Pitti Bimbo. Os maiores clientes fizemo-los nas feiras, quer numa quer noutra. Desde que criei a marca, o plano foi sempre a internacionalização e temos conseguido», reconhece a fundadora.

Depois de ter duplicado a faturação em 2017, as expectativas da Phi Clothing para o corrente ano são elevadas. «Os objetivos agora são duplicar: a faturação e o número de países onde estamos presentes», conclui Filipa Moreira.