Início Notícias Vestuário

Outfit21 alinha-se dentro e fora de fronteiras

A empresa de confeção, que nos últimos dias ficou conhecida pela proposta de compra da Dielmar, está a investir na internacionalização para o private label e a chegar a novos mercados, ao mesmo tempo que, depois do rebranding, está a relançar a marca própria Pietro em Espanha e também no mercado nacional.

José Carlos Rodrigues

A Outfit21 tem pouco mais de um ano e meio de existência, mas acumula um know-how de 38 anos na produção de vestuário business e clássico para homem, especialmente casacos e calças, conseguido durante o exercício como Unilopes. «A empresa continua a ser a mesma, os trabalhadores continuam a ser os mesmos, só foi feita a modernização das instalações e dos processos», explica José Carlos Rodrigues, diretor-geral da Outfit21.

Nesta evolução, a empresa de confeção, que faz todo o desenvolvimento de produto desde o esboço até ao artigo final, acrescentou a produção de vestuário de senhora, no mesmo segmento de produto, e está focada em encontrar novos mercados. «Essencialmente trabalhávamos Portugal, Espanha, França e alguma coisa em África, mas pouco. Hoje já fazemos mais países, como a Escandinávia, Inglaterra, EUA e Irlanda. Estamos, de facto, num processo de tentar crescer dentro do nosso tipo de produto de forma a podermos garantir o futuro e crescer nos próximos anos», revela ao Portugal Têxtil.

Para isso, a Outfit21, que exporta cerca de 95% da sua produção, tem estado presente em feiras internacionais, nomeadamente na Munich Fabric Start e na Première Vision Paris, para comunicar melhor com os atuais e potenciais clientes. «Se não nos mostrarmos, não existimos para os outros. A comunicação é muito importante: dentro da empresa, para passarmos a informação que recolhemos de clientes de diversos países, que pensam e querem coisas diferentes; e fora das empresas, com os clientes», justifica o diretor-geral.

Levar a Pietro mais longe na Ibéria

Os restantes 5% estão alocados essencialmente às vendas da marca própria Pietro em Portugal, resultado do rebranding da Pietro Donati, vocacionada para o mercado masculino num segmento business e clássico.

Aires Santos

O relançamento da marca própria começou no ano passado, mas com o mercado espanhol. «Portugal estava completamente parado nessa altura, as lojas de rua estavam fechadas e em Espanha havia mais a possibilidade de comercializar no imediato», indica o diretor comercial Aires Santos. Uma aposta bem sucedida, que começou com dois agentes e neste momento implica já uma rede comercial com seis agentes. «Temos Espanha coberta, o que nos permite, em termos de marca, já ter uma maior visibilidade em Espanha do que propriamente em Portugal», assume Aires Santos.

Considerando os países uma continuidade um do outro, estando a ser trabalhados em conjunto «como se fosse um mercado doméstico», até porque, como realça o diretor comercial, «em termos de vestibilidade e ergonomia do cliente acaba por ser muito idêntico», o objetivo para a Pietro «é crescer: crescer essencialmente em Portugal e Espanha».

Um objetivo que se estende à Outfit21 como um todo, que conta hoje em dia com cerca de 180 pessoas, um número que José Carlos Rodrigues afirma que tem «tendência a aumentar por situações relacionadas com o aumento de capacidade de produção, porque temos tido, felizmente, alguma procura» – aliás, a empresa, soube-se recentemente, apresentou uma das duas propostas conhecidas de aquisição da Dielmar.

O crescimento, contudo, deverá ser feito também ao nível da rentabilidade. «Em termos estratégicos queremos crescer, porque se não crescermos, com a estrutura e os custos que temos, teríamos alguma dificuldade em sobreviver. Mas queremos ter maior valor acrescentado em todas as coisas que fazemos, vender melhor», conclui o diretor-geral da Outfit21.