Início Notícias Tecnologia

Outlast dá conforto na saúde

A Outlast está a ganhar novas valências e utilizações. Para além dos têxteis e vestuário tradicionais, a tecnologia de gestão de calor originalmente desenvolvida para a NASA está a chegar aos produtos ortopédicos, como liners para amputados e ortóteses.

 

A tecnologia Outlast, com materiais com mudança de fase que absorvem, armazenam e libertam o calor para um conforto térmico ótimo, permite reduzir significativamente a transpiração provocada pelo aumento da temperatura – uma vantagem que está atualmente a ser aproveitada para novos produtos ortopédicos.

É o caso dos chamados liners (uma espécie de meia de silicone que é colocada sobre o coto para permitir a união à prótese) da The Ohio Willow Wood Company. Até agora, estes liners funcionavam como isolantes, retendo o calor do membro residual dentro do liner e levando o amputado a suar e a ficar desconfortável. A empresa americana desenvolveu o Alpha SmartTemp Liner, que mistura silicone com a tecnologia de gestão de temperatura Outlast, permitindo que o liner absorva e armazene o calor para evitar a transpiração nas próteses. A tecnologia Outlast no Alpha SmartTemp Liner é proativa, significando que está continuamente a reagir à temperatura da pele para ajudar a mitigar o início da transpiração – uma diferença face a soluções reativas, como as que afastam a humidade da pele, uma vez que essas só funcionam depois da pessoa transpirar.

A The Ohio Willow Wood Company já realizou testes clínicos para o Alpha SmartTemp Liner. Durante os testes, diversos pacientes amputados revelaram que conseguem usar o liner 14 a 20 horas sem ter de o remover. Num vídeo no website da empresa, Chad, um amputado transtibial, revela que o Alpha SmartTemp Liner «é muito suave» e que consegue usá-lo «todo o dia, como se não estivesse lá». No seu depoimento, garante ainda que «é o melhor sistema que encontrou para controlo de temperatura e conforto».

A tecnologia Outlast está a ser igualmente introduzida por outras empresas que atuam nesta área. A americana Ottobock tem no seu catálogo ortóteses para ombros, mãos, pulsos e joelhos que, garante, permitem «um microclima confortável devido à menor produção de suor». Já a francesa Thuasne incluiu a tecnologia nas almofadas em espuma que integram as suas ortóteses para o tornozelo, enquanto a empresa alemã Hydas Fabrik für Medizinalbedarf usa as fibras Outlast em diferentes ligaduras e cintas de apoio para uma maior capacidade de gestão de temperatura. A alemã Bort, por seu lado, promete um «conforto excecional» com as suas ligas de compressão com tecnologia Outlast.