Início Notícias Tendências

Pandemia alimenta procura por sustentabilidade

Mais de metade dos responsáveis de sustentabilidade das marcas de têxtil e vestuário registaram um aumento na procura dos consumidores por práticas e produtos ambientalmente sustentáveis desde o início da pandemia de Covid-19. São várias as marcas que acreditam que, se não se adaptarem, vão perder clientes.

[©Freepik]

Os inquiridos de um estudo feito pelo US Cotton Trust Protocol afirmaram que os pedidos alusivos a ações ambientais e por produtos mais ecológicos tiveram um crescimento significativo com a chegada no novo coronavírus. 42% frisaram mesmo que os consumidores estão mais expressivos nessas exigências.

Os resultados mostraram ainda que quase metade dos inquiridos acredita que se seguirem estas práticas os clientes vão considerá-los mais credíveis, com 48% a salientarem que os consumidores podem deixar de ter no leque de preferências uma determinada marca se a mesma não for ao encontro dos seus critérios de sustentabilidade.

A iniciativa da US Cotton Trust Protocol contou com a participação de 138 executivos de vários pontos do mundo, dos quais 67% ocupavam a função de vice-presidente sénior ou um cargo equivalente. Na prática, o estudo pretende medir o impacto que a pandemia teve no calendário internacional de sustentabilidade das principais marcas e retalhistas de moda, bem como nos negócios ligados ao sector têxtil.

Os dados revelaram que 43% dos entrevistados destacaram um impacto positivo nos investimentos e nos esforços de sustentabilidade durante este período, porém 40% pensam exatamente o inverso, mencionando um impacto negativo.

Com o aparecimento do vírus, algumas empresas passaram a temática da sustentabilidade para segundo plano, enquanto outras mantiveram-se focadas na meta primordial. 9% interromperam as iniciativas neste sentido, contudo a maioria das empresas continuam a caminhar para um modelo de negócio mais sustentável através da produção (25%), origem das matérias-primas (25%) e rastreabilidade (11%). Melhorar a transparência nos relatórios ambientais (59%), impulsionar a sustentabilidade no aprovisionamento (63%) e alinhar os programas existentes com os protocolos e padrões de sustentabilidade (59%) são algumas das ações que as empresas inquiridas estão a implementar nos programas de sustentabilidade. Estabelecer parcerias externas (62%) até que as empresas estejam novamente aptas para reinvestir em inovações faz também parte das medidas aplicadas.

«É evidente que a Covid-19 trouxe desafios económicos na cadeia de aprovisionamento, mas este estudo mostra que as empresas e os clientes permanecem focados na sustentabilidade», afirma Dr. Gary Adams, presidente do US Cotton Trust Protocol, citado pelo just-style.com. «Conforme vamos entrando no processo de recuperação em muitos países, sistemas como o Trust Protocol vão ser mais importantes do que nunca para que as marcas possam ter os dados que precisam para mostrar que estão a atingir as suas metas científicas», assume.

O US Cotton Trust Protocol foi desenvolvido para ajudar as marcas e retalhistas a rastrearem o algodão dos EUA com mais confiança, fornecendo dados anuais referentes a seis áreas da sustentabilidade em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Mercados mais recetivos

O estudo descobriu também que o impacto da pandemia nos investimentos sustentáveis difere não só de empresa para empresa, mas também depende do mercado onde está inserida.

[©US Cotton Trust Protocol]
Os inquiridos norte-americanos são os menos recetivos a investir nesta área, com somente 26% a afirmarem que a crise sanitária teve um impacto positivo na empresa em relação a esta vertente. Na Europa, seis em cada 10 dos inquiridos, o equivalente a 63%, consideram que a pandemia teve um impacto positivo nos esforços sustentáveis dentro do respetivo modelo de negócio. Também na Ásia, 46% disseram que houve um aumento nos investimentos proativos aplicados às iniciativas de sustentabilidade. As condições de mercado específicas podem, contudo, desempenhar um papel mais relevante no futuro da sustentabilidade, mais ainda do que os fatores globais, destaca a US Cotton Trust Protocol.

Embora as preocupações ambientais sejam cada vez maiores por parte dos consumidores, o estudo constatou que 59% dos inquiridos continuam a acreditar que o preço vai surgir no topo da pirâmide no que diz respeito à aquisição de um produto.

Os executivos que participaram no estudo foram também questionados sobre quais seriam as prioridades para o consumidor no processo de compra já para o próximo ano. As respostas mencionaram sobretudo dois fatores: conseguir o melhor negócio possível e o alinhamento das marcas ou retalhistas pelos seus valores pessoais.