Início Notícias Tecnologia

Passos espaciais para o vestuário inteligente

Investigadores alemães estão a avaliar os efeitos do ambiente espacial no sistema cardiovascular através da camisola SmartTex, que durante a missão de seis meses do astronauta Matthias Maurer na Estação Espacial Internacional irá medir e transferir os dados para a Terra.

Alexander Gerst [©Hohenstein]

De acordo com o Instituto Hohenstein, a camisola SmartText tem como objetivo fornecer uma imagem contínua das funções vitais dos astronautas, sendo informação particularmente relevante para futuras missões de longo prazo à Lua e a Marte. A tecnologia poderá depois ser transferida na Terra para aplicações para fitness e telemedicina.

A camisola, que foi desenvolvida pelo Centro Aeroespacial Alemão (DSL na sigla original) em cooperação com a DSI Aerospace Technology, a faculdade de medicina da Universidade de Bielefeld e o Instituto Hohenstein, usa sensores integrados para transferir dados fisiológicos dos astronautas para a Terra através de uma rede de comunicação sem fios.

A SmartTex vai ser testada como parte do projeto Wireless Compose-2 pelo astronauta Matthias Maurer, da Agência Espacial Europeia, numa missão de seis meses na Estação Espacial Internacional, cuja partida foi adiada de 30 de outubro para 7 de novembro.

«Durante os projetos anteriores Spacetex (2014) e Spacetex2 (2018), reunimos dados valiosos sobre a interação do corpo, vestuário e clima sob condições de microgravidade», explica Jan Beringer, especialista sénior do Instituto Hohenstein. «O conforto e as informações de materiais fornecidas pelas experiências com o astronauta da Estação Espacial Europeia Alexander Gerst foram incorporadas no design do Hohenstein da nova camisola SmartTex», acrescenta.

O novo design irá permitir que Matthias Maurer use confortavelmente a sua camisola durante todo o dia de trabalho na Estação Espacial Internacional, até porque as suas medidas foram usadas para o desenvolvimento do molde e produção.

[©DLR]

«Também integrámos os sensores, os processadores de dados e os módulos de comunicação na camisola, para que interfiram o menos possível e estejam sempre posicionados no sítio certo, independentemente da situação de utilização», revela Jan Beringer. «É um pré-requisito para a medição fidedigna dos dados fisiológicos», afirma.

Matthias Maurer será o primeiro astronauta a usar a camisola com os sensores que vão medir dados como o ritmo cardíaco e a pressão sanguínea. Para estudar de forma realista os efeitos ambientais no sistema cardiovascular humano, no verão de 2021, investigadores calibraram os sensores para a SmartTex na unidade Envihab do Instituto de Medicina Aerospacial do DSL. Os dados serão recolhidos antes, durante e após a sua estadia na Estação Espacial Internacional.

Tendo em conta que é conhecido que os músculos se deterioram em condições de microgravidade e, sendo o coração um músculo, «será interessante ver se e como o coração muda sob condições espaciais», salienta Martin Drobczyk, gestor de projeto no Instituto de Sistemas Espaciais do DLR em Bremen.