Início Notícias Marcas

Patachou de olho na Ásia

O universo infantil criado por Marta Sousa e Sofia Ferreira mistura um estilo chique e intemporal, convergindo numa marca que tem vindo a afirmar-se internacionalmente. Conquistar a China e investir no mundo digital são os dois trunfos da marca para o futuro.

Marta Sousa e Sofia Ferreira

«Patachou é festa», é assim que a CEO, Marta Sousa, define a marca de criança que está, neste momento, de olhos postos no Brasil e, principalmente, na China. «No Brasil há muita procura. O problema é as tarifas, o que faz com que o produto chegue lá muito tarde», aponta.

Para a marca que atualmente tem como principais mercados Reino Unido, EUA e Médio Oriente, a China poderá ser mais fácil de conquistar, porque «é um mercado que que adora luxo. Aliás, todas as marcas de luxo estão a crescer graças à China, seja a Louis Vuitton, a Chanel… Nós também adorávamos chegar lá e eu acredito que vamos conseguir. Estamos a caminhar para isso todos os anos e estamos quase a fechar uma parceria com um parceiro local», revela ao Portugal Têxtil.

2018 foi um ano «fantástico», afirma a CEO da Patachou, que registou um crescimento de cerca de 30%. «Começámos, por exemplo, a trabalhar com a Holanda, Bélgica e Luxemburgo», explica. E os primeiros cinco meses do corrente ano deixam boas perspetivas para o corrente exercício. «Estamos contentes, não nos podemos queixar. O têxtil está a bombar e a nossa marca está a bombar também. O nosso segmento é de nicho. Se fosse de massas, se calhar seria mais complicado», considera Marta Sousa.

De igual forma, a nova coleção, para a primavera-verão 2020, conjuga no futuro estes bons tempos presentes que a marca vive. «É uma coleção especial, de férias, de alegria, de momentos de felicidade. Nós queremos crianças felizes, mas lindas e bem vestidas», resume Marta Sousa. A coleção irá viajar para as várias montras que a Patachou ocupa pelo mundo fora, nomeadamente Harrods, Neiman Marcus, Barneys, Selfridges e Harvey Nichols.

Renovação digital

Para alavancar o crescimento, a marca de moda infantil não está somente no retalho físico, mas também no mundo digital. Além da loja própria online, a Patachou está ainda à venda em marketplaces, como a Farfetch.

«Estamos a fazer um grande investimento no nosso website. Estamos a desenvolver um plano de negócios para aumentar as vendas online», adianta Marta Sousa. «Vendemos cerca de 5% no canal online, o que ainda representa pouco. Sabemos que o nosso produto tem um potencial enorme para vender online. Esse é o nosso grande foco para 2019», assegura.

A marca de roupa para criança nasceu no seio da Longratex, representando atualmente 50% do volume de negócios da empresa, segundo a administradora, Sofia Ferreira. «Estes primeiros meses do ano estão a ser maravilhosos. Vamos crescer em relação ao ano passado. Está tudo a correr muito bem para nós», garante.