Início Destaques

Paulo Araújo: em nome do pai

O website modernizado, a ambiciosa estratégia de internacionalização e o sangue fresco da segunda geração trouxeram um novo fôlego à especialista em acessórios têxteis, cuja família decidiu começar por bater à porta do vizinho, mas agora está de janelas abertas para o mundo.

Com um departamento de produção e um departamento de compras que têm vindo a munir a empresa das ferramentas necessárias para a viagem além-fronteiras, a Paulo Araújo orgulha-se de olhar para o cliente – marcas e designers de renome – como um opinion maker.

«Hoje fazemos a vontade ao cliente, é o cliente que dita a nossa tendência, inclusivamente, às vezes, perguntamos a opinião quando estamos a selecionar as nossas coleções, damos-lhe um preview daquilo que temos em mãos», explica, ao Portugal, Têxtil Joana Araújo, administradora da empresa fundada pelo pai, em 1985.

Mulher dos dois ofícios

Se num emprego embeleza rostos, no outro embeleza roupas. Joana Araújo é dentista por vocação, administradora da empresa de acessórios têxteis por herança, mas garante que interpreta com igual dedicação e empenho os dois papeis que assumiu com a chegada da idade adulta.

«Posso dizer que o meu pai, em 1985, foi um visionário, e passo e passo foi construindo esta empresa, que por maior que seja vai ser sempre familiar», sublinha.

O armazém geral, a loja de revenda, os catálogos atualizados com as últimas tendências, a rede de vendedores e o website – recentemente relançado e onde é possível fazer quer compras, quer pedidos de consulta dos artigos – têm vindo a dar a conhecer a oferta da Paulo Araújo, que inclui passamanarias, botões, rendas, molas, fivelas, fechos, emblemas, entre outros, aos mercados, entre os quais se destaca o país vizinho.

«Trabalhamos essencialmente com o mercado espanhol, inclusivamente temos dois vendedores a trabalhar esse mesmo mercado, neste momento focados sobretudo na zona da Galiza, Andaluzia e Madrid», revela a administradora.

Alargar horizontes

Saltando as fronteiras da Península Ibérica, França, Itália, Holanda e Alemanha têm «bastante potencial» e, por isso, são geografias já circundadas a vermelho no mapa-múndi da Paulo Araújo, sem descurar o mercado nacional, que absorve aproximadamente 60% da produção da empresa.

Dentro de portas, a Paulo Araújo está também capacitada para assegurar o tingimento dos acessórios. «Podemos fazer o próprio tingimento de botões, de fitas, de rendas, etc. 90% daquilo que temos conseguimos fazer o tingimento na nossa empresa», garante Joana Araújo.

Presente em salões da especialidade como a Momad Metrópolis, em Madrid, e o Modtissimo, no Porto, 2017 foi generoso para a Paulo Araújo.

«Sentimos que foi um ano de crescimento. Apesar de já estarmos bastante solidificados, tentamos sempre aumentar a nossa carteira de produtos e clientes», conclui a administradora da Paulo Araújo.