Início Notícias Vestuário

Portugal em destaque na Munich Fabric Start

Num espaço batizado Portugal Sourcing, e numa participação conjunta apoiada pela Associação Selectiva Moda e pelo CENIT, as empresas portuguesas de confeção estarão no centro da próxima edição da Munich Fabric Start, que regressa ao formato presencial de 31 de agosto a 2 de setembro.

[©Mundifeiras]

Esta edição marca o regresso da Munich Fabric Start, depois de ter sido substituída em setembro do ano passado por um certame mais reduzido batizado Fabric Days, que serviu de exemplo para as medidas de segurança que serão implementadas agora.

«Para a Munich Fabric Start, de 31 de agosto a 2 de setembro, o nosso objetivo ambicioso é mostrar novamente o nosso portefólio premium», explica Sebastian Klinder, diretor-geral da Munich Fabric Start, antecipando o regresso de todas as áreas, incluindo a Bluezone, dedicada ao denim, e o Sourcing.

É nesta última área que Portugal terá um espaço especial, precisamente batizado Portugal Sourcing que, em vez dos habituais showrooms, contempla uma área central no Atrium 3, com stands modulares.

«A próxima Munich Fabric Start servirá de palco essencial para a mudança da rota

do sourcing. A procura por um sourcing de proximidade e de sustentabilidade tornou-se ainda mais evidente com a pandemia e colocou Portugal na mira das marcas de moda da Alemanha», afirma Tânia Barros, representante das feiras de Munich em Portugal. «São duas mais valias que representam uma grande oportunidade para as empresas portuguesas fornecedoras de vestuário», acrescenta.

As empresas na área Portugal Sourcing terão o apoio da Associação Selectiva Moda e do CENIT, «um verdadeiro esforço conjunto para a promoção da ITV portuguesa», sublinha Tânia Barros, e contam com um preço especial por metro quadrado. A representante das feiras de Munique em Portugal antecipa a participação de 8 a 10 expositores nacionais neste espaço.

Boas expectativas

No geral, as inscrições para a Munich Fabric Start deixam adivinhar uma edição preenchida. «O bom nível de inscrições demonstra que o mercado têxtil precisa, mais do que nunca, que as feiras internacionais mantenham a sua organização e que proporcionem a experimentação das texturas e padrões que irão ditar as tendências das novas coleções das grandes marcas», acredita Tânia Barros.

Esta será a primeira edição do ano, depois da Fabric Days inicialmente agendada para janeiro ter sido adiada e posteriormente cancelada devido à situação pandémica.

Fabric Days – setembro 2020 [©FabricDays]
Em setembro de 2020, a Fabric Days acolheu cerca de 3.600 visitantes de 30 países, que representaram aproximadamente 1.300 empresas, incluindo nomes como a Adidas, Gerry Weber, Hugo Boss, Puma, Vetements e Wolford.

De Portugal estiveram 12 empresas representadas, que trouxeram um feedback positivo. «A Fabric Days correu muito bem», confirmou, na altura, Baltazar Lopes, administrador da Albano Morgado. «Para aquilo que estávamos à espera, correu bem», corroborou Gabriela Melo, diretora de criação e design da Somelos Tecidos. «Tendo em conta as atuais circunstâncias, o balanço foi positivo. O número de visitas foi acima das nossas expectativas, confirmando a tendência na procura de artigos sustentáveis», assegurou Carlos Serra, CEO da Troficolor.