Início Notícias Têxtil

Portugal em força no Pacto para as Competências

São 13 as entidades portuguesas signatárias do Pacto para as Competências das Indústrias Têxtil, Vestuário, Couro e Calçado, uma iniciativa da Comissão Europeia para impulsionar a requalificação e atualização dos trabalhadores destes sectores e, dessa forma, melhorar a sua competitividade.

O Pacto para as Competências das Indústrias Têxtil, Vestuário, Couro e Calçado, que tem a coordenação da Euratex, a confederação europeia do têxtil e vestuário, foi lançado em dezembro e faz parte da Estratégia Industrial da União Europeia, que aborda a competitividade de 14 ecossistemas críticos, onde se inclui o têxtil e o vestuário.

«A Euratex tem orgulho em coordenar esta iniciativa», afirma Alberto Paccanelli, presidente da confederação europeia. «O sucesso das nossas empresas baseia-se em encontrar as pessoas certas com as competências certas. Isso tornou-se cada vez mais difícil, por isso este Pacto é uma chamada de atenção para trabalharmos juntos e desenvolvermos uma estratégia voltada para o futuro, onde as pessoas são colocadas no centro do nosso sector», acrescenta.

Os signatários reconhecem o desafio das competências no ecossistema têxtil e comprometem-se a investir na requalificação e atualização dos trabalhadores, para integrar competências digitais e ecológicas e melhorar a atratividade do sector. Os membros do pacto irão beneficiar do trabalho em rede, da orientação e dos recursos disponibilizados pela Comissão Europeia para implementar os objetivos propostos.

Entre as 118 entidades signatárias, 13 são portuguesas, entre associações, centros tecnológicos, empresas e entidades públicas, incluindo a APICCAPS – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos, a Associação Portuguesa dos Industriais dos Curtumes, a ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, o CITEVE, o Cluster Têxtil: Tecnologia e Moda, o CTIC – Centro Tecnológico das Indústrias do Couro, o Centro Tecnológico do Calçado, o Centro de Formação Profissional da Indústria do Calçado, a Belcinto, a Luís Onofre, o CCDR-N, a Comunidade Intermunicipal do Cávado e a Área Metropolitana do Porto.

Estas entidades e as restantes signatárias deverão trabalhar em conjunto e investir em parcerias de competências em larga escala, garantir o intercâmbio das melhores práticas e aumentar a atratividade do sector.

O Pacto para as Competências das Indústrias Têxtil, Vestuário, Couro e Calçado definiu ainda cinco objetivos: promover uma cultura de aprendizagem ao longo da vida para todos; construir uma sólida parceria de competências com stakeholders relevantes; monitorizar a oferta e a procura e antecipar as necessidades de competências; trabalhar contra a discriminação e pela igualdade de género e de oportunidades; e chamar a atenção e aumentar a atratividade das indústrias têxtil, vestuário, couro e calçado.

A partir deste ano, a Comissão Europeia irá oferecer aos signatários do Pacto para as Competências a possibilidade de beneficiarem de colaborações aos níveis regional, nacional e da UE e, em particular, terem acesso ao trabalho em rede, ao conhecimento e à orientação e aos centros de recursos.