Início Notícias Moda

Portugal Fashion desafia a moda

Entre as chamadas de atenção de Hugo Costa e de Júlio Torcato e a viagem de Maria Gambina até uma estância de neve, está dado o arranque na 44ª edição do Portugal Fashion, que faz da Invicta o centro da moda nacional até ao próximo domingo, para a apresentação das coleções outono-inverno 2019/2020.

Júlio Torcato

Com uma nova organização espacial e a utilização, pela primeira vez, do segundo piso, a Alfândega do Porto voltou esta quinta-feira a ser o ponto de união de criadores nacionais de moda, que se juntam para apresentarem as tendências para a próxima estação fria.

O veterano Júlio Torcato cumpriu o prometido na edição passada do certame: subverter o habitual formato dos desfiles de moda. Fê-lo através de uma performance, que misturou moda com uma projeção multimédia, denominada Folder One: Wake Up. «A expressão wake up é repetida ao longo do vídeo, despertando os modelos e espero que também o público para a problemática dos animais em risco de extinção por ação humana. Escolhemos, de forma simbólica, três animais: o golfinho, o rinoceronte e a águia imperial ibérica», explicou o designer ao Portugal Têxtil. A mensagem de Júlio Torcato também se refletiu nos 10 coordenados que apresentou, nomeadamente «nas lãs naturais, no poliéster reciclado de plástico recolhido do mar e nas peles sintéticas. Os verdes e azulados simbolizam o mar e usámos também os tons mais terra». Tudo isso numa coleção «com um toque de sportswear, o mais minimal possível, para não distrair da mensagem. A moda, com a visibilidade que tem, deve aproveitar este espaço de comunicação para passar mensagens. É uma obrigação e um pequeno contributo que acho que estou em condições de dar», afirmou.

Hugo Costa

Hugo Costa também aproveitou a visibilidade do mundo da moda para deixar uma chamada de atenção. O criador foi ao Muro de Berlim retirar mensagens de união como “Change your life”, “Peace and Love”, “The World is too small for walls”. «Há uma chamada de atenção real para as barreiras que as pessoas estão a construir, sejam elas físicas ou não. É fundamental lembrarmo-nos que o Muro de Berlim só começou a ser destruído em 1989. A humanidade tem o dom de se esquecer da parvoíce muito depressa. As pessoas mergulham tanto nas suas áreas de conforto que, de repente, se esquecem que podem reagir», admitiu o criador. Pela união e reação, Hugo Costa recuou a uma «época austera e de racionamento, antes da queda do muro, e olhámos para os básicos e padrões, vimos o que tínhamos em casa e podíamos reutilizar. O denim, o workwear e o jeansewear ganharam mais força». Os estampados, feitos à mão pelo criador, e os bolsos, pelo seu carater utilitário, acabaram por «ser o ponto mais forte da coleção», garantiu.

Maria Gambina

O primeiro dia de Portugal Fashion fechou com o desfile de Maria Gambina, que voltou ao Portugal Fashion após o regresso à passerelle na última edição. Depois da “Construção”, chegou a “Nancy”, que viaja até estâncias de neve. «Fui pegar em peças mais retro, numa onda dos anos 70, dos tricots, do feito à mão, com alguns detalhes de vestuário para quem vai para a neve, como os corta-ventos, com uma silhueta contemporânea, muito feminina e delicada», revelou a criadora. A coleção conta ainda com «com materiais recicláveis, como cortiça, da Tintex, malhas compactas com as quais fiz casacos, malhas mais delicadas da RDD e tecidos mais impermeáveis da Lemar», enumerou.

Bloom revela novos talentos

Como é habitual, os jovens criadores tiveram a oportunidade de mostrar as suas criações no Bloom, espaço que o Portugal Fashion dedica aos novos talentos da moda. Ao todo, o Bloom reuniu 10 jovens designers e uma escola de moda, a Modatex, que inaugurou a passerelle. Seguiram-se as coleções de Sofia Silva, Ashma Karki, Rita Sá, Mara Flora, Maria Meira e Daniela Pereira. Nesta edição, o Portugal Fashion estreou ainda uma plataforma mais experimental do projeto: o Bloom Upload, que introduziu nomes com coleções cápsula de cinco coordenados, apresentadas num formato mais interativo de apresentação, com nomes como Carolina Sobral, Arieiv, João Sousa, 0.9 Virus.

O Portugal Fashion prossegue até domingo, onde serão apresentadas coleções para o outono-inverno 2019/2020 de nomes consagrados, como Alexandra Moura, Alves/Gonçalves, Diogo Miranda, Luís Buchinho, Luís Onofre, Marques’Almeida, Miguel Vieira, Katty Xiomara, Nuno Baltazar, Sophia Kah e Susana Bettencourt, de novos valores, como David Catálan, Inês Torcato e Sara Maia, e de marcas como a Meam e a Concreto. As apresentações acontecem depois de Carlos Gil e Nycole, terem participado na ModaLisboa apoiados pelo Portugal Fashion, no âmbito do acordo assinado entre as duas entidades. A manhã do último dia do 44.º Portugal Fashion, a partir das 10h30, é reservada à moda infantil, segmento que, pela primeira vez, tem um calendário exclusivo no evento.

Daniela Pereira