Início Arquivo

Portugal Fashion exporta criadores

Até amanhã, Luís Buchinho, Diogo Miranda, Susana Bettencourt, Carla Pontes, Daniela Barros e Teresa Abrunhosa está a apresentar as suas criações na feira Scoop International Fashion Show em Londres. Com cerca de 400 coleções de marcas e designers de vestuário, acessórios, joias e calçado tão reputados como Vanessa Bruno Athé, Rebecca Taylor, Marithé + François Girbaud, Matthew Williamson, Kenzo e Vivienne Westwood, a feira londrina, que começou ontem, tem um conceito de “boutique”, a que se soma ainda a apresentação de algumas referências da pintura, escultura e instalações artísticas. A “comitiva” portuguesa está dividida entre a Phillips Gallery – onde estão as designers Carla Pontes, Daniela Barros e Teresa Abrunhosa – e a Saatchi Gallery – Diogo Miranda, Luís Buchinho e Susana Bettencourt. Em agosto, será a vez de partir rumo à Dinamarca, para participar na conceituada feira Vision, que terá lugar de 8 a 10 de agosto. Luís Buchinho, Anabela Baldaque, Susana Bettencourt e Carla Pontes são os nomes que marcarão presença no certame de Copenhaga. A presença em Londres e Copenhaga é a primeira investida do projeto Estratégia para o Mercado Global 2013 promovido pela Anje – Associação Nacional de Jovens Empresários em parceria com a Anivec – Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção, cujo objetivo é «apoiar um conjunto de criadores que, uma vez aplicados na expansão das respetivas etiquetas e na profissionalização das suas atividades, contam já com uma estrutura profissional definida e uma empresa formalmente constituída», revela um comunicado da associação. Segundo a Anje, o novo projeto «propõe às empresas participantes a atuação em rede, no sentido de juntas alcançarem um reforço de competitividade», um esforço que, acredita a associação, irá «multiplicar as possibilidades de promoção dos criadores nacionais, junto de outros criadores, cadeias de lojas, agentes de compras, distribuidores e até consumidores de todo o mundo». Para além de Londres e Copenhaga, «Paris e Viena são os mercados eleitos para completar este roteiro pelas feiras internacionais do sector». O projeto Estratégia para o Mercado Global 2013 aposta ainda «no acompanhamento e facilitação dos processos de internacionalização das empresas participantes, numa lógica informativa e integradora, sustentada no acesso a novas redes de contactos», o que poderá «contribuir para a diminuição das dificuldades sentidas pelas empresas na hora de colocar os seus produtos no estrangeiro, assim como para a promoção da atividade das empresas de confeção que com elas trabalham na conceção das suas propostas de vestuário».