Início Arquivo

Portugal líder em Espanha

O mercado espanhol importou 733,2 milhões de euros de t-shirts e camisolas interiores em 2004 correspondendo a um aumento de 16,2% face a 2003. Este forte crescimento não é um fenómeno isolado, de facto, nos últimos dez anos as entradas deste tipo de artigos cresceram a uma taxa média anual de 20,5%. Em volume, foram importadas 251,4 milhões de unidades (mais 18,8% que em 2003) resultando num preço médio de 2,92 € por unidade que compara com os 2,98 € por unidade de 2003. Portugal lidera a lista dos principais mercados de origem com uma quota de 18,2% do mercado de importação. A Turquia e a França ocupam as posições subsequentes representando 10,8% e 9,1% das entradas de t-shirts e camisolas interiores no mercado espanhol. O dinamismo do mercado de importação tem-se reflectido nas importações de Portugal. As entradas oriundas do mercado nacional cresceram 385,6% entre 1994 e 2004, resultando numa taxa de crescimento média anual de 17,1%, todavia, este aumento foi inferior à taxa de crescimento das entradas totais traduzindo-se numa perca de quota dos artigos lusos de 5,9 pontos percentuais. A análise dos últimos dez anos evidencia ainda o aumento da importância de alguns mercados nas importações espanholas com destaque para a Turquia e para o Bangladesh que passaram de quotas de 1,0% e 1,5% para quotas de 10,8% e 9,0%, respectivamente. Os dados provisórios disponíveis para 2005 apontam para a manutenção da tendência de crescimento do mercado de importação espanhol, segundo o Eurostat as entradas de t-shirts cresceram 19,0% em 2005. No que respeita aos artigos nacionais, de acordo com os dados provisórios as importações com etiqueta lusa ascenderam 141,8 milhões de euros representando um aumento de 6,4% face 2004 que se reflectiu numa quota de 16,3% nas importações totais. Destaca-se o forte crescimento das importações da China. Relembre-se que 2005 ficou marcado pela liberalização do comércio de t-shirts e camisolas interiores (categoria 4) e apesar das quotas terem sido repostas a meados do ano, as entradas da China para este mercado cresceram 141,1% face ao ano anterior correspondendo a um aumento da quota da China de 3,6% para 7,2%. Esta evolução permite retirar algumas ilações para o período posterior a 2007, data em que serão abolidas as restrições quantitativas à importação da China, aumentando a concorrência neste mercado liderado pelos artigos nacionais. Refira-se, no entanto, que não é possível estabelecer a comparação directa entre os artigos nacionais e os asiáticos, uma vez que, enquanto os primeiros têm um preço médio de 4 € por unidade os segundos ficam pelos 1,35 € por unidade. Esta informação é apresentada em ficha de mercado, disponível no Portugaltextil.com