Início Arquivo

Portugal veste camas suecas

A produção nacional de roupa de cama continua a marcar presença no mercado mundial, com Portugal a afirmar-se como um dos principais fornecedores dos diferentes mercados. A Suécia é um caso paradigmático já que Portugal foi, em 2000, o principal fornecedor deste mercado, tendo exportado 11,8 milhões de euros, a que corresponde uma quota de 17,7%. Em 1999, era o Paquistão que assumia a liderança das exportações. Todavia, as transacções deste país para a Suécia diminuíram 8,6%, que associado ao facto das exportações portuguesas terem crescido 26,9%, superior à taxa de crescimento de importações suecas (19,6%), contribuiu não só para a inversão de posições entre Portugal e Paquistão, mas também para o aumento do peso relativo que as exportações nacionais detêm neste mercado escandinavo. A Índia, que ocupa a 2ª posição em 2000, regista uma quota idêntica à de Portugal (17,4%), com uma taxa de crescimento, entre 1999 e 2000, equiparada à nacional. Contudo, os preços médios de exportação da Índia e Portugal são bastante diferentes, fixando-se, respectivamente, em 6,26 euros/kg e 10,86 euros/kg, ou seja, os preços indianos correspondem a 58% dos portugueses, o que poderá ter implícito um maior valor acrescentado dos produtos nacionais. Os valores mais recentes e que se reportam ao 1º semestre de 2001, confirmam esta supremacia nacional, realçando-se o facto da importância relativa das exportações nacionais de roupa de cama para a Suécia atingirem, neste período, 18,1%, resultado dum total exportado de 6 milhões de euros. Note-se que segundo o Observatório Têxtil do CENESTAP, e tendo como base os 3 primeiros trimestres de 2001, os têxteis lar representam 16,8% das exportações da ITV e no que respeita ao sector têxtil correspondem a 44,3%. Esta informação é apresentada em ficha informativa, disponível no PortugalTextil.com.