Início Notícias Têxtil

Portugueses invadem Munique

O salão de tecidos alemão, que decorre até à próxima quarta-feira, 4 de fevereiro, irá revelar cerca de 1.600 coleções para a estação quente do próximo ano de expositores de 35 países e deverá acolher, segundo as expectativas da organização, cerca de 20 mil visitantes e compradores internacionais. Para as empresas portuguesas, este certame tem vindo a tornar-se obrigatório, com a presença de 24 expositores nacionais, apoiados pela Associação Selectiva Moda, a ser prova disso. A Têxtil Serzedelo/Texser, A. Sampaio & Filhos Têxteis SA, Adalberto Estampados, Albano Morgado, Arco Fabrics, Gierlings Velpor, Lemar, Living Colours Têxteis SA, Lurdes Sampaio, NGS Malhas, Paulo de Oliveira SA, Penteadora, Riopele, Sanmartin, Somelos Tecidos, Tessimax, Teviz by Polopique, Tintex,TMG Fabrics, Troficolor Têxteis SA, Vilartex, Lipaco, Sidónios Malhas e Burel Factory são as empresas que representam o “made in Portugal” nesta edição. A Vilartex está em Munique tanto para «promover a coleção de malhas circulares», como também para fazer «a prospeção de novos clientes e o reencontro com agentes e clientes dos atuais mercados», explica o diretor de vendas internacionais Carlos Coutinho. A especialista em rendas e tecidos de cerimónia Sanmartin, uma outra das 24 empresas apoiadas pela Associação Selectiva Moda, destaca a qualidade da Munich Fabric Start. «Atrai clientes dos mais diversos mercados, tratando-se de uma excelente oportunidade para divulgar o nosso nome e qualidade dos nossos produtos», considera Alexandre Leitão, responsável de marketing da empresa sediada na Maia, que nesta edição irá destacar «as rendas de noiva com pedrarias, rendas coloridas, lantejoulas e os novos brocados para vestidos de festa. Quer igualmente destacar a nova coleção direcionada para uma roupa mais causal, mas de luxo, com tecidos com características elegantes e acima de tudo confortáveis». Já a Lipaco aposta em artigos mais técnicos, com linhas de costuras técnicas e fios texturizados para passamanarias, tecelagem e para a indústria de meias, nomeadamente em poliéster e poliamida, para servir um mercado «de elevada exigência ao nível da qualidade dos produtos», como sublinha o CEO Jorge Pereira. A A. Sampaio & Filhos, por seu lado, irá dar ênfase aos artigos ecologicamente sustentáveis, com a sua gama “pure life”, um conjunto de propostas de malha com algodão orgânico e com poliéster reciclado, que, de resto, se enquadram na oferta da feira, que conta mesmo com uma Eco Village, onde está em foco uma seleção de artigos orgânicos. Ainda no âmbito da ecologia, a Munich Fabric Start promove as Eco Talk, com palestras e seminários sobre sustentabilidade. A feira alemã é a primeira a mostrar as influências para a primavera-verão 2016, subordinadas ao tema “Oscillating Identities”, cobrindo culturas, identidades e temas diversos e paralelos. Silhuetas largas, divertidas mas elegantes, a introdução do Oriente moderno no design, o desporto high-tech e a ascensão do digital e do psicadélico criam quatro tendências que irão marcar a moda – Self Essence, Oriental Laboratory, Dream Patching e Psycotech Jungle – que estarão presentes no fórum de tendências a descobrir durante a feira.