Início Arquivo

Poucas graças na bolsa

Na segunda-feira após o fim-de-semana da Black Friday, que marcou o início da época de compras da quadra natalícia nos EUA, as acções dos retalhistas caíram acentuadamente. As quebras atingiram todos, desde as cadeias de desconto Wal-Mart Stores Inc e Target Corp às department stores Macy’s Inc e JC Penney Co. Inc. O Standard & Poor’s Retail Index desceu 9,3%, mais do que a queda de 8,95% do S&P 500 Index, devido aos sinais do grave abrandamento económico que se registam um pouco por todo o mundo. Segundo alguns analistas, os consumidores estão a decidir as suas compras com base em dois critérios: ou escolhem um produto por causa dos descontos oferecidos ou decidem-se por um produto específico, na moda, que não precisa necessariamente de estar em promoção para vender, como os iPods ou as botas UGG. Embora seja difícil separar os vencedores dos vencidos durante um período de tão baixas expectativas, houve claras excepções», afirma o analista da Lazard Capital Markets, Todd Slater, relativamente aos resultados do fim-de-semana. Slater cita a Wal-Mart, a Deckers, produtora da bota UGG, a Apple, produtora do iPod, e a cadeia de vestuÁrio American Apparel como exemplos de excepções. Bradley Thomas, um analista na KeyBanc Capital Markets, considera, contudo, que quase toda a gente no retalho vai ser um perdedor este ano e obviamente que neste momento as acções reflectem isso». Thomas vê ainda uma época “pouco festiva” para alguns retalhistas de decoração de casa, como a Williams-Sonoma e a Pier 1 Imports, uma vez que as vendas de mobiliÁrio e decoração caíram num abismo». Além disso, muitos investidores mantêm-se pessimistas com a performance dos retalhistas, após o Gabinete Nacional de Pesquisa Económica ter confirmado que a economia norte-americana entrou em recessão em Dezembro. Os investidores estão a ignorar largamente o que as empresas fizeram individualmente e as suas perspectivas e estão a vender tudo», afirma Marshall Front, presidente da Front Barnett Associates, uma empresa de consultoria de investimentos com uma carteira actual de 600 milhões de dólares para gerir. No entanto, as empresas que devem ficar entre as mais fortes, como a Wal-Mart e a Kohl’s, caíram menos (este ano) e parecem estar a aguentar-se melhor», afirma. A empresa tem, por isso, acções tanto na Wal-Mart como na Kohl’s. Os primeiros resultados da Black Friday mostram que as vendas cresceram no geral, alimentadas por elevadas taxas de frequência das lojas, vendas on-line mais fortes e grandes descontos dos retalhistas em todas as gamas de preços. As vendas combinadas para sexta-feira e sÁbado (dias 28 e 29 de Novembro) aumentaram 1,9% em relação ao ano passado, segundo revelou a empresa ShopperTrak. Nesta altura, antecipamos que o nível de vendas abrande esta semana, com os consumidores a ficarem em casa, à espera de mais vendas de ocasião», afirma Bill Martin, co-fundador da ShopperTrak. Consideramos que o trÁfego nos centros comerciais foi bom mas o resultado não foi tão impressionante porque os compradores escolheram cuidadosamente os melhores negócios», revelou a analista da UBS, Roxanne Meyer, sobre o início da época de compras do Natal. As promoções de retalho, como as da American Eagle Outfitters “compre um top, leve outro por metade do preço”, ou o desconto de 50% a 70% em todos os produtos da Aeropostale, destinam-se, sobretudo, a atrair mais trÁfego de clientes. Mas estes descontos estão a desgastar as margens das empresas, causando preocupação aos analistas em relação aos lucros trimestrais das empresas. Mantemo-nos preocupado com a margem bruta do último trimestre, tendo em conta a forte actividade promocional», revelou Michelle Clark, analista de retalho na Morgan Stanley. Uma preocupação que pode ser confirmada brevemente, quando os retalhistas começarem a revelar os resultados de vendas do mês de Novembro.