Início Arquivo

PPR em Portugal

O presidente do grupo PPR- Pinault Printemps Redoute, Serge Weinberg, esteve em Portugal para fazer um ponto de situação de todas as empresas do grupo, quer a nível nacional quer internacional, conforme adiantou numa entrevista concedida ao DN.

O grupo é líder mundial no segmento da distribuição de produtos não alimentares, estando presente em 55 países. No exercício transacto apresentou um volume de negócios de 3,78 mil milhões de contos, prevendo no corrente ano atingir os 4,2 mil milhões, tendo logo no primeiro trimestre apresentado um crescimento de 25%, prevendo chegar aos 50% até ao final de 2002.

O PPR divide-se em quatro grandes parcelas, sendo a mais importante a do retalho, responsável por quase 50% das vendas do grupo, orientada para o grande público, onde se incluem cinco marcas, nomeadamente a Conforama, Fnac, Printemps, e os catálogos de vendas Redoute e Vert-Baudet. Uma outra parcela, associada a estas vendas por catálogo, consiste na divisão de crédito ao consumo contando já com oito milhões de utilizadores de cartões, assegurando a terceira posição neste segmento em França.

Considere-se depois a área business-to-business, vocacionada para as empresas, onde se encontra a Rexel, especialista na distribuição de material eléctrico e líder mundial, a Pinault Bois & Matériaux, orientada para a venda de materiais de construção sendo a segunda empresa francesa neste mercado, a Guilbert a operar na distribuição de material de escritório, apresentando-se como líder na Europa e, finalmente, a CFAO- Companhia Francesa da África Ocidental, a maior empresa na distribuição no continente africano.

Por último, a área dos artigos de luxo onde estão envolvidas marcas internacionalmente reconhecidas, designadamente a Gucci, Yves Saint Laurent e Sergio Rossi. Neste segmento, o grupo tem a particularidade de trabalhar com margens mais elevadas, o que muito contribuiu para aumentar a rentabilidade total. Acrescente-se que, nestes artigos, em apenas um ano se converteram nos terceiros maiores a nível mundial, com cerca de 360 milhões de contos em vendas.

Será de salientar que Portugal é um dos países onde mais marcas do grupo estão representadas, na medida em que no segmento do retalho podemos encontrar a Fnac, Conforama, Redoute e VertBaudet, na área do business-to-business a Guilbert e a Rexel, esta constituída por várias empresas das quais se destaca a Mectel, e finalmente no segmento de serviços de crédito está presente a Finaref. Saliente-se que o grupo não está no território nacional somente na distribuição própria de artigos de luxo.

No exercício anterior atingiram 36 milhões de contos, estando previsto para este ano cerca de 43 milhões, significando um crescimento de 17%. Serge Weinberg realça que Portugal é um dos países mais rentáveis para o grupo, estando planeada a abertura de uma terceira Fnac em Lisboa e uma segunda no Porto, havendo potencial para dez, e de mais três lojas da Conforama em Lisboa, duas no Porto e uma em Faro até 2002.

Das marcas representadas no país, a Fnac destaca-se no sucesso, sendo já responsável por um terço das vendas no país, estando prevista a abertura de 40 lojas Fnac Service, orientadas para a fotografia, das quais 12 já para este ano.