Início Arquivo

Prada confirma OPV para o Verão

Os preparativos para a Oferta Pública de Venda -OPV da empresa italiana de artigos de luxo, Prada, até ao Verão estão já em execução, afirmou o director geral da empresa, Patrizio Bertelli, enquanto referia que o tamanho da empresa e o facto de a maioria dos accionistas estarem registados, fez com que a OPV a breve prazo fosse quase inevitável. A empresa sedeada em Milão registou um aumento do volume de negócios em 2001 de 5,4% para 1,73 mil milhões de euros com as marcas Prada e Miu Miu a representarem 1,34 mil milhões de euros. A alemã Jil Sander, que foi adquirida pela Prada dois anos antes, viu as suas vendas aumentarem 5,4% para 143,1 milhões de euros. As outras marcas da Prada, incluindo a Helmut Lang, CarShoe e a licença de confecção Azzedine Alaia, alcançaram vendas consolidadas de 64,4 milhões de euros, um aumento de 107,7% em relação ao ano anterior. Estes resultados também incluem os da Fendi, que durante nove meses fez parte da Prada, registando um aumento das vendas de 45,8% para 113,4 mil euros. A Prada vendeu a sua comparticipação na empresa de moda Roman ao grupo francês de artigos de luxo LVMH, em Novembro passado. Do total do volume de negócios, 444,6 milhões de euros, ou 25,9%, foram gerados em Itália, onde as vendas aumentaram 18,6%. O resto da Europa contribuiu com 395,4 milhões de euros ou 23,1% do total das vendas, com um aumento de 16,6%. Nos Estados Unidos e Ásia as vendas baixaram 7,1% para 381,8 milhões de euros e 1,3% para 492,6 milhões de euros. Com 28,7% do volume de negócios, a Ásia continua a ser o maior mercado da empresa. O vestuário representa um terço do total de volume de negócios seguido pelos artigos de pele com 45%, acessórios com 8% e sapatos o restante. A Prada gera metade do seu total de vendas com o seu próprio retalho e a outra metade é composta aproximadamente pelos 900 clientes grossistas e planeia manter esta proporção, de acordo com Bertelli. De referir ainda que a Prada negou rumores de que a empresa planeava encerrar as lojas na Alemanha. «Pelo contrário. Estamos a renovar a nossa loja de Dusseldorf e à procura de um lugar maior em Berlim, e vamos ainda abrir mais lojas no futuro próximo», afirmou o director geral da empresa.