Início Arquivo

Preços em queda

Os preços das importações ao longo do ano que terminou no dia 31 de Maio caíram em nove dos dez maiores fornecedores de vestuário dos EUA, de acordo com o divulgado no relatório “Trade and trade policy: the US clothing import market”, publicado pela Textiles Intelligence. No período de 12 meses em análise foram registadas quedas de preços nas importações norte-americanas com origem nos seguintes países: Bangladesh, Camboja, China, Honduras, Índia, Indonésia, México, Paquistão e Vietname, segundo refere a publicação Global Apparel Markets. A única excepção foi El Salvador. Na realidade, o preço médio das importações de vestuário dos EUA caiu para o nível mais baixo dos últimos 20 anos, registando uma quebra de 7,4% dos 3,12 dólares por metro quadrado equivalente, para apenas 2,89 dólares. A principal razão para a queda no preço foi a eliminação das restrições de salvaguarda dos EUA contra as importações de determinados produtos da China no final de 2008. Quando as restrições foram introduzidas em 2006, geraram escassez. A procura excedeu a oferta e os exportadores chineses foram capazes de aumentar os preços. A partir do momento em que as restrições foram retiradas, deixou de haver limite para a oferta disponível e os preços caíram. Na realidade, o preço médio das importações norte-americanas de vestuário proveniente da China diminuiu 9,6% em 2009 para os 2,66 dólares por metro quadrado equivalente, o nível mais baixo desde 2005. O preço médio do vestuário importado da China também caiu fortemente em 2005 e as importações subiram na sequência da eliminação das quotas no final de 2004. A tendência registada em 2005 parece ter sido repetida, embora em menor grau. As importações dos EUA em várias categorias de vestuário provenientes da China previamente sujeitas a restrições de salvaguarda, cresceram em termos de volume no ano findo em 31 de Maio de 2010, enquanto os preços médios das importações caíram abruptamente. Por exemplo, as importações de calças de algodão aumentaram 42,0% em valor e 70,2% em volume, reflectindo um declínio de 16,6% no preço médio. As importações de camisas de malha em algodão aumentaram 34,5% em valor e 63,0% em volume, reflectindo um declínio de 17,5% no preço médio. As importações de calças de fibras sintéticas aumentaram apenas 2,3% em valor, mas 32,1% em volume, reflectindo um declínio de 22,6% no preço médio. O declínio no preço médio das importações norte-americanas de vestuário provenientes da China teve um efeito negativo sobre os preços médios das importações provenientes de outros fornecedores, na medida em que foram obrigados a baixar os preços para competir com os fornecedores chineses. Por exemplo, o preço médio das importações de vestuário dos EUA com origem no Vietname caiu 7,5% em 2009. As quedas de preços foram testemunhadas em particular nas duas maiores categorias de vestuário importados do Vietname, ou seja: camisas de malha em algodão e calças em algodão. Não surpreendentemente, estas duas categorias foram também duas das principais categorias de importações provenientes da China, cujos preços caíram drasticamente. O preço médio das importações norte-americanas de vestuário com origem no Bangladesh, caiu uns modestos 1,9%. No entanto, este declínio nos preços foi o primeiro desde 2003 e demonstra a pressão a que foram sujeitos os exportadores de diferentes países, desde a eliminação das restrições de salvaguarda contra as importações da China. Outras quedas incluem uma redução de 10,1% no preço médio das importações norte-americanas de vestuário provenientes do Camboja, atingindo o seu nível mais baixo desde 2004. Além disso, o preço médio das importações norte-americanas de vestuário da Índia caiu 5,0% para o menor nível em mais de 20 anos.