Início Arquivo

Preços resistem

As camisolas e pulôveres foram uma das categorias de produtos mais analisadas durante 2005, em particular devido à liberalização do comércio desta categoria na U.E. e a posterior reposição das quotas de importação à China. De acordo com a análise de preços efectuada pelo Observatório Têxtil do CENESTAP, os preços de importação deste tipo de artigos tem apresentado uma tendência descendente nos últimos anos, mais acentuada nos oito primeiros meses de 2005. Esta evolução reflecte sobretudo a variação dos preços dos artigos com origem extra-comunitária nos quais se destaca a China e o Bangladesh com reduções dos preços de 43,4% e 10,1% nos primeiros oito meses de 2005 face ao período equivalente do ano anterior atingindo preços de 4,97€ por unidade e 3,77 € por unidade, respectivamente. De referir que o mercado de importação comunitário de camisolas e pulôveres é liderado pela Turquia e pela Alemanha com quotas de 13,3% e 8,6%, respectivamente e que de acordo com a informação disponível para os primeiros oito meses de 2005, o aumento da concorrência não se traduziu numa redução dos preços dos artigos destes mercados tendo mesmo aumentado em termos homólogos 3,2% no primeiro e 8,9% no segundo. No que respeita ao mercado nacional, as exportações de camisolas e pulôveres representam 12,3% das vendas ao exterior de vestuário de malha nacional e têm como destino preferencial o mercado intracomunitário que absorve 92,6% das saídas totais. Confrontando com 2004, entre Janeiro e Agosto de 2005, os preços das camisolas e pulôveres lusos também não se ressentiram com o aumento da concorrência nos mercados internacionais tendo crescido 12,3% para um preço médio de 8,40€ por unidade. Esta análise é apresentada em ficha de preços disponível no PortugalTextil.com