Início Arquivo

Première Vision com Balanço Positivo

A Première Vision, uma das maiores feiras de tecidos a nível mundial, apresentou o balanço da sua última edição realizada entre 5 e 6 de Outubro, no Parque de Exposições, em Paris Nord-Villepinte, França. As companhias produtoras de tecidos presentes na Première Vision foram principalmente pequenas e médias empresas, como indicam os seguintes dados:

  • Apenas 10% das empresas presentes declaram um volume de facturação superior a 45 milhões de euros (74,8 milhões de contos), percentagem igual a 1999, enquanto 46% das empresas apresentam uma facturação inferior a 10 milhões de euros (16,6 milhões de contos), contra 44% em 1999;
  • 17% das empresas representadas empregaram mais de 200 pessoas em 2000, contra 19% em 1999.
  • Esta estrutura diversificada de expositores permite aos visitantes contactar com uma vasta gama de empresas do sector, o que enriquece consideravelmente a oferta de tecidos em termos de criatividade e variedade. Neste salão foram também divulgados, os resultados de um inquérito feito junto de 812 expositores produtores de tecidos presentes nos salões de Março e Outubro de 2001, e que obteve 92% de respostas. Este inquérito teve como objectivo avaliar a situação económica da indústria dos tecidos reunida na Première Vision, e compreender melhor a situação económica verificada em 2000, comparando-a com os dados relativos aos anos anteriores. Assim, os números-chave deste inquérito foram os seguintes:

  • 15,3 biliões de euros (3.000 milhões de contos) de facturação das empresas produtoras de tecidos (mais 5% que em 1999);
  • 8,5 biliões de euros (1.700 milhões de contos) em exportações das empresas produtoras de tecidos (56% da facturação total);
  • 3/4 das exportações das empresas produtoras de tecidos vão para países europeus;
  • 93.500 pessoas trabalham directamente nas empresas produtoras de tecidos (menos 4% do que em 1999);
  • 3 biliões de metros de tecidos produzidos por 768 expositores (excepto bordados e fitas).
  • Quanto aos efeitos deste contexto na mão-de-obra:

  • Em 2000, as 812 empresas produtoras de tecidos submetidas a este inquérito empregavam directamente 93.589 pessoas, o que significou um decréscimo de 4% relativamente a 1999;
  • O sector da lã, o maior presente neste salão, com um total de 255 empresas representadas, é igualmente o maior empregador, com um total de 24.760 pessoas empregues;
  • O sector da roupa desportiva empregou 16.000 pessoas (mais 23,7% do que em 1999), enquanto o sector do denim totalizou 10.318 empregados (mais 33,3% em relação a 1999);
  • Em Itália, país onde as empresas produtoras de tecidos representam a maioria da indústria têxtil e do vestuário, a respectiva força de trabalho decresceu 8% em comparação com 1999, empregando 35.000 pessoas;
  • As empresas produtoras de tecidos da Alemanha (10.925 trabalhadores para 58 companhias) e da Bélgica mantiveram as respectivas forças de trabalho.
  • Em relação às exportações:

  • Apesar de ser o maior mercado europeu, as empresas produtoras de tecidos da Alemanha exportam menos que a média das suas congéneres europeias, registando 40% do volume de facturação total;
  • É geralmente nos países mais pequenos, como Portugal, Áustria e Bélgica, que as empresas produtoras de tecidos apresentam um maior volume de exportação (entre 71% e 87% da facturação total em 2000);
  • A Europa constitui o principal destino das exportações europeias, absorvendo 74% do total das exportações.
  • A próxima edição deste certame terá lugar entre 20 e 23 de Fevereiro de 2002, igualmente em Paris, podendo obter mais informações através do site do Première Vision .