Início Arquivo

Première Vision com sentimentos de insegurança

Nesta altura complicada, a feira Première Vision tentou criar um ambiente tão natural quanto possível, mas os controlos de segurança nas entradas e especialmente o número reduzido de visitantes – 2/3 inferior ao costume – anularam estes esforços. A insegurança sobre o futuro e sobre o desenvolvimento económico depois dos atentados do dia 11 de Setembro é enorme. Ninguém quer fazer prognósticos mas todos, produtores e comerciantes, agem cuidada e reservadamente. Muitos produtores de tecidos, por exemplo, notaram que os seus clientes não queriam fazer encomendas com uma duração prolongada. Tentaram evitar decisões e efectuar encomendas. O lema pareceu ser: esperar até saber o que vai acontecer. Mas, apesar da frequência reduzida e da insegurança em relação aos futuros desenvolvimentos, muitas empresas presentes na feira ficaram igualmente satisfeitas. Especialmente nos primeiros dois dias da feira, os negócios foram melhores do que o esperado. Segundo alguns produtores de tecidos, foram especialmente os clientes alemães que foram muitos concentrados e com objectivos claros. “Para nós, a queda na frequência não fez mal. Assim conseguimos concentrar-nos melhor nos clientes presentes e conseguimos melhores resultados com eles”, diz um produtor. Mesmo assim, muitos produtores estão perturbados, porque não só faltaram os visitantes dos EUA e do Japão, como também os visitantes dos países mais importantes da UE. Isto não só por causa da data da Première Vision que é relativamente tarde no ano. Muitos produtores assumem que o número total de feiras nesta área é, em geral, muito elevado. Existe uma tendência forte para as feiras regionais neste momento. Segundo um produtor de tecidos, “os clientes gostam das feiras perto da sua sede e, com isto, reduzem despesas. Por isto, reagimos a esta tendência nova na área das feiras e estivemos presentes em várias feiras. Foi uma decisão boa e com resultados.” Mas este desenvolvimento leva as despesas extras das feiras para os produtores. “Neste momento, estamos presentes em sete feiras diferentes e, no futuro, temos de decidir com que é que vamos continuar e com que é que vamos acabar”, diz um outro produtor. Muitos fabricantes têm problemas semelhantes, mas, até agora ainda não querem tirar conclusões. Preferem esperar como vai ser o próximo mês de Fevereiro. Preferem esperar saber o que vão ser os resultados do novo calendário das feiras e querem saber que feiras vão ser vencedoras e quais vão ser vencidas. A insegurança maior neste momento encontra-se no mercado italiano, não por causa das datas das feiras, mas por causa dos acontecimentos gerais. Os negócios com os EUA são muito importantes tanto para os produtores de tecidos como para os produtores de roupa. Segundo pessoas da área, o mercado de artigos de luxo já nota os efeitos a curto prazo do dia 11 de Setembro. É obvio que os italianos esperam que isto se mude rapidamente, mas, entretanto, as pessoas são cuidadosas. Um grupo de produtores italianos de tecidos reagiu rapidamente à crise e viajou a Nova Iorque para falar directamente com os seus clientes, antes da Primière Vision se realizar. As primeiras consequências mostram-se já também em relação à moda do segmento dos preços altos. A tendência para roupa decente e simples, que já existiu, aumenta a sua importância. Os tecidos têm desenhos muito tradicionais em cores naturais. Artigos fortes e chocantes não têm nenhuma hipótese neste momento, mas os desenhos num estilo romântico/sonhador estão a avançar. Esta tendência mostra-se em todos os segmentos da moda desde os bordados com cetim até outros ornamentos e flores. O regresso das blusas à moda não só fez bem aos tecidos estampados, mas também aos tecidos coloridos em geral. Riscas de qualquer forma estão na moda. Mas as calças com quadrados – sejam os quadrados típicos de lã ou de algodão – estão também a avançar. Um outro tecido procurado é a bombazina com riscas grossas, mas o denim é ainda o tecido mais pretendido de todos, quase não existem colecções sem algumas referências a este tecido. Mas aqui nota-se também que os desenhos são mais discretos.