Início Destaques

Première Vision reforça omnicanal

A organização da feira de tecidos parisiense faz um balanço positivo do Digital Show, que substituiu por completo a versão física da Première Vision, que estava agendada para 15 e 16 de setembro. Um bom prenúncio que faz com que a próxima edição, em fevereiro, esteja já a ser preparada como um certame híbrido.

[©Première Vision]

O Marketplace da Première Vision foi completamente dominado pelo que a organização batizou de Digital Show, a feira online que substituiu a edição física e que reuniu 43 mil produtos de mais de 1.675 fornecedores de 43 países e 19.500 visitantes únicos de quase 120 países. A plataforma contemplou o catálogo digital, que incluiu ferramentas de contacto simples entre expositores e compradores, a apresentação das tendências para o outono-inverno 2021/2022 e conferências sobre diversos temas, incluindo a apresentação do estudo sobre as perspetivas de consumo na Europa no segundo semestre. Estas 15 Digital Talks envolveram 3.635 profissionais da indústria e estão disponíveis para ver ou rever online.

De acordo com a organização, «apesar do Digital Show ir manter-se ativo no Première Vision Marketplace ao longo da estação, o tráfego e a atividade registada nos seus dois primeiros dias demonstram quão claramente este evento responde às novas necessidades em evolução, permitindo aos profissionais internacionais da indústria de moda continuar a interagir e a desenvolver o seu negócio, apesar da atual incerteza económica e de saúde».

Embora os habituais PV Awards tenham sido cancelados – pela primeira vez em quase 10 anos –, a organização atribuiu, pela primeira vez, os Première Vision NextGen Awards, que têm como objetivo distinguir a criatividade têxtil de estudantes de todo o mundo. O Grande Prémio do Júri foi entregue a Annika Kiidron, da Academia Estoniana de Artes, da Estónia, o Prémio Imaginação foi para Jifang Zhang, da Universidade Nottingham Trent do Reino Unido, o Prémio de Interiores recompensou o trabalho de Netta Getta, da Shenkar de Israel, e o Prémio de Inovação nos Materiais distinguiu Elisa Defossez, da Universidade Aalto, da Finlândia.

PV híbrida em fevereiro

Para Gilles Lasbordes, diretor-geral da Première Vision, «a performance deste primeiro evento digital é muito encorajadora e altamente instrutiva. Saudamos o empenho e reatividade da indústria, que se mobilizou à volta da feira virtual, ao mesmo tempo que os relembrou a importância da experiência física». Por isso mesmo, acrescentou em comunicado, a edição de fevereiro, para apresentar as coleções para primavera-verão 2022, está já «a tomar forma para ser uma feira híbrida».

[©Première Vision]
A estratégia omnicanal, será, por isso, para manter. A organização prevê que a Première Vision Paris se realize fisicamente, permitindo reuniões presenciais para um envolvimento sensorial com as novas coleções, mas será acompanhada pelo Digital Show no seu Marketplace, que possibilitará a apresentação das coleções não só durante os dias da feira mas também após o encerramento das portas.