Início Notícias Vestuário

Prémios de Excelência para 6 empresas

P&R Têxteis, Twintex, Valérius, Crialme, Polopique e Becri foram as empresas vencedoras dos Prémios de Excelência Empresarial 2018, entregues ontem durante a quinta edição do Concurso Europeu de Jovens Designers do CENIT, onde esteve presente o Secretário de Estado da Economia, João Correia Neves.

Becri

Com o objetivo de projetar o trabalho das empresas portuguesas da indústria da moda em Portugal e no mundo, o CENIT e a ANIVEC entregaram, pelo segundo ano consecutivo, os Prémios de Excelência Empresarial às empresas que mais se destacaram em diferentes áreas da competitividade.

Secretário de Estado da Economia

«Estes prémios pretendem, essencialmente, projetar o trabalho das empresas e a imagem do nosso sector ao nível nacional e internacional», explicou Manuel Lopes Teixeira, presidente do CENIT.

Já César Araújo, presidente da ANIVEC, sublinhou que «a ANIVEC continuará a ser parceira dos empresários que, com grande tenacidade e mérito, conseguiram fazer da nossa uma indústria de excelência e vão, seguramente, continuar a moldar o futuro desta indústria do vestuário e moda em Portugal».

Os seis vencedores

P&R Têxteis

A primeira a subir ao palco foi a P&R Têxteis, com Nuno Fernandes Pinto, a segunda geração à frente dos destinos da empresa, a receber o prémio das mãos de Braz Costa, diretor-geral do Citeve. Momentos antes, ao Portugal Têxtil, Nuno Pinto, fundador e acionista da empresa, assumiu que o prémio «é mérito de todos os colaboradores da empresa e também dos seus clientes, que são drivers e nos impulsionam a procurar produtos mais inovadores».

Twintex

O prémio na categoria Eficiência Energética, anunciado por Fernando Ferreira, diretor do 2C2T da Universidade do Minho, foi entregue à Twintex, enquanto o galardão que destaca os esforços na área da economia circular foi para as mãos da Valérius.«É mais um ponto marcante nesta caminhada», afirmou José Vilas Boas Ferreira, presidente da empresa. No âmbito do projeto 360, a Valérius está a dar nova vida à roupa, transformando-a quer em novos fios, quer em papel para a criação de embalagens. «Já enviámos à volta de 900 kits para clientes de todo o mundo para dar a conhecer este projeto», que irá arrancar na fase industrial em outubro de 2019, revelou o empresário ao Portugal Têxtil.

Valérius

A Crialme foi a empresa distinguida na categoria Indústria 4.0 e a Polopique venceu, pelo segundo ano consecutivo, o prémio de maior volume de investimento, entregue por César Araújo. «Não podemos parar. A indústria têxtil, como qualquer outra indústria, tem que estar sempre a modernizar-se. A tecnologia avança e nós temos que estar muito atentos e avançar também», assegurou Luís Guimarães, presidente do grupo Polopique.

Polopique

O último prémio da noite foi para a Becri, que registou o maior crescimento do volume de negócios em 2017. O aumento evidenciado no ano passado foi «fruto de trabalho, persistência, visão de futuro e a sorte de encontrar clientes para nos ajudarem a evoluir e a desenvolver a empresa. Os colaboradores também nos fizeram crescer muito», apontou o administrador Jorge Costa, que admitiu que esta distinção colocou «um sorriso» no rosto das 400 pessoas que trabalham diretamente na Becri. «Sentem-se orgulhosos e sabem que contribuíram para isto», confessou.