Início Arquivo

Primazia ao orgânico

Embora não seja um pensamento agradÁvel, o facto é que a poluição é um factor decorrente da vida moderna. Quer se queira ou não, a vida actual não seria possível sem deixar para trÁs alguns resíduos. Claro que só recentemente o Ocidente percebeu os danos terríveis que a humanidade estÁ a fazer ao planeta e a necessidade de combatê-los de todas as formas – incluindo a poluição criada pela produção de vestuÁrio. Algumas empresas estão cada vez mais conscientes deste facto e procuram reduzir os seus desperdícios e poluição com a produção de vestuÁrio orgânico. O vestuÁrio orgânico é produzido através de plantas que não foram geneticamente modificadas e que são cultivadas sem recurso a produtos químicos. Usando os ancestrais métodos de rotação de culturas em vez de fertilizantes sintéticos e controlo de pragas biológicos (como predadores carnívoros que comem qualquer insecto que possa atacar as plantas) em vez de pesticidas, os agricultores conseguem produzir matérias-primas puras sem vestígios de químicos. Este método não só resulta em vestuÁrio que contém menos químicos e substâncias indesejÁveis, como ajuda o ambiente das regiões onde as matérias-primas são produzidas. Como refere Andy Fairweather, director da empresa Aspectwear, que recentemente aderiu ao vestuÁrio orgânico, os pesticidas afectam a qualidade da Água, que pode prejudicar pessoas e animais. Mas o recurso a métodos orgânicos reduz o uso de pesticidas e promove o desenvolvimento das fontes renovÁveis. Ao usar fertilizantes naturais, estÁ-se também a assegurar que o ambiente mantém os níveis de nutrientes adequados». Uma das plantações que utiliza mais químicos é o algodão. A produção de algodão necessita mais substâncias químicas por unidade de superfície do que qualquer outro cultivo e representa 25% da utilização mundial de pesticidas, pelo que é também cada vez mais vulgar a junção das fibras de algodão (preferencialmente orgânico) com as fibras de bambu, uma vez que esta é a planta com o maior ritmo de crescimento do mundo (ver As virtudes do bambu). Esta viragem das empresas para o que é orgânico prende-se também, e sobretudo, com a cada vez maior consciência ecológica dos consumidores finais, que entendem melhor os benefícios do vestuÁrio orgânico e procuram colaborar na defesa do meio ambiente. A procura deste tipo de produtos estÁ, por isso, em crescimento, e cada vez mais empresas apostam neste nicho de mercado, que se vai alastrando à medida que o tempo passa. Mas com consumidores cada vez mais conscientes e informados, a palavra “orgânico” não tem grande valor sem provas reais. Por isso, as empresas recorrem às certificações internacionais, como o sistema Oeko-Tex 100 (ver Rótulo de confiança) para aproveitarem esta janela de oportunidade e responder de forma efectiva à procura dos consumidores, ao mesmo tempo que protegem a Terra.