Início Arquivo

Produção aumenta na China

O índice PMI (Purchasing Managers Index), compilado pela Markit e lançado pelo HSBC, acompanha a atividade industrial e é um barómetro da saúde da economia. Uma leitura acima dos 50 pontos indica expansão e o indicador na China apenas regressou ao território positivo em novembro, após 12 meses consecutivos de contração. Qu Hongbin, economista do HSBC em Hong Kong, revelou que a melhoria da procura interna tinha encorajado os fabricantes chineses a aumentarem a produção, embora os mercados estrangeiros permaneçam inertes. «Graças aos contínuos ganhos de novos negócios, os fabricantes aceleraram a produção através da contratação de pessoas e da realização de mais compras», explicou Hongbin. «Apesar da procura externa ainda ser moderada, o processo doméstico orientado para o reaprovisionamento irá provavelmente adicionar dinâmica à atual recuperação da China nos próximos meses». A economia chinesa cresceu 7,8% no ano passado, como resultado da debilidade no mercado interno e nos principais mercados externos, sendo esta a menor taxa de crescimento desde 1999. Mas cresceu 7,9% nos últimos três meses de 2012 em relação ao ano anterior na sequencia da recuperação da produção industrial e das vendas a retalho, invertendo a tendência registada nos sete trimestres consecutivos de desaceleração do crescimento. Zhang Zhiwei, economista da Nomura International China, em Hong Kong, afirmou que o forte PMI registado em Janeiro reforçou as expectativas de que o crescimento económico no primeiro trimestre irá ainda ganhar mais impulso. Mas, segundo Zhiwei, com o aumento da inflação e o estímulo do crescimento como preocupações menos urgentes, as políticas tendem a tornar-se gradualmente apertadas. «O governo vai estar mais preocupado com a inflação e as suas políticas terão mais cuidado para controlar os riscos, levando ao abrandamento do crescimento do crédito ao nível anual», explicou. «Portanto, o crescimento económico na segunda metade do ano tende também a diminuir», acrescentou. O índice de preços no consumidor (IPC) na China, um dos principais indicadores da inflação, subiu 2,6% em 2012, conforme evidenciaram os dados oficiais, ficando abaixo dos 5,4% do ano anterior. Mas o aumento nos preços recuperou no final do ano passado para atingir os 2,5% em termos anuais em dezembro, o maior desde os 3% registados em maio.