Início Arquivo

Produção de algodão acima das expectativas

As últimas estimativas avançadas pelo US Department of Agriculture (USDA) apontam para um decréscimo do preço do algodão, consequência do facto da produção crescer a um ritmo superior ao consumo, e que levará necessariamente à criação de stocks, que se estima que atinjam 570.000 fardos, e à diminuição de preços no curto prazo. Os futuros do algodão não deixaram de reflectir esta tendência e, apesar de terem crescido 8% nos primeiros nove dias de 2002, começaram a decrescer na última quinta feira. A produção mundial irá suplantar as previsões iniciais, refere um relatório publicado por este organismo, enfatizando também que o consumo será ligeiramente superior ao esperado. As previsões mais recentes do USDA, indiciam que a produção nos EUA será superior em 675.000 fardos, sendo acompanhado por um crescimento de 900.000 fardos na China, face às estimativas iniciais. O aumento registado neste último mercado implica que o volume de produção se fixará em 24,4 milhões de fardos, em vez dos 23,5 milhões inicialmente previstos. A produção no Egipto será também superior face às expectativas iniciais. O Paquistão funcionará como contraponto, uma vez que a produção totalizará 7,6 milhões, cerca de 400.000 fardos abaixo do estipulado. O consumo mundial vai-se fixar em 91,7 milhões fardos, superior em 130.000 comparativamente às últimas previsões. A crise no sector têxtil americano induziu a um reajustamento em baixa dos valores apontados para o consumo de algodão nos EUA, que foi extensível à Índia e México. Face ao cenário de queda dos preços desta matéria prima, certos especialistas defenderam na Beltwide Cotton Conferences, em Atlanta que a produção tenderá a diminuir em 2002-2003, nomeadamente no Hemisfério Sul, em que a redução pode atingir 2 milhões de fardos, uma vez que a produção nos países desta região do globo é bastante sensível às oscilações dos preços devido à ausência de subsídios governamentais.