Início Arquivo

Produzir o que o mercado consome”

A Lasa, uma das maiores empresas de têxteis-lar nacionais, iniciou uma nova etapa de comercialização dos seus produtos na vizinha Espanha, apostando na distribuição directa. É através da marca própria, Lasa International, que o grupo entra no mercado espanhol, com uma colecção exclusiva, “Agua, Aire, Mar e Tierra” e uma nova colecção é esperada já para o próximo mês de Setembro. A Lasa “sempre foi uma empresa exportadora”, afirma Marco Fontão, director do Departamento de Exportações para Espanha, “e trabalha com vários países europeus, Estados Unidos e até mesmo exportando alguma coisa para o Japão”, acrescenta. Neste momento, a Lasa exporta principalmente para França, tendo atingido um volume de vendas em 2001 de cerca de 5 milhões de euros. Para fazer face à actual conjuntura económica e às dificuldades pelas quais passa o sector têxtil, a Lasa decidiu comercializar os seus produtos no mercado espanhol através da “distribuição directa entre o produtor e o lojista, o que poderá ser uma boa opção para podermos ser bastante mais competitivos. Foi por essa via que tentamos diversificar as nossas vendas”, explica Marco Fontão. Apesar de não se ter ressentido muito pela actual conjuntura – ao ponto de não ver por exemplo, as suas encomendas canceladas como outras empresas – a Lasa teve de “reajustar alguns aspectos” para dar seguimento aos seus programas, através de um controle dos prazos de entrega e da qualidade dos produtos. Estas preocupações vão “reflectir-se bastante a nível de preços de venda, que são bastante mais baixos do que há uns anos atrás”, afirma o director. A aposta da Lasa está na diversificação dos produtos e da distribuição. “Temos que nos tornar cada vez mais em comerciais, ou seja produzir aquilo que o mercado consome e não, como a maioria dos industriais portugueses faz, que é tentar vender aquilo que produzem”, conclui Marco Fontão. De referir que o volume de vendas do grupo no exercício de 2001 foi de 25 milhões de euros.