Início Destaques

Quando a moda encontra o fitness

Em 2016, a marca epónima da designer Susana Gateira aquece em nove lojas exclusivas e corre no canal online que, em média, processa 450 encomendas por mês – 30% expedidas para códigos-postais internacionais.

«Não foi uma aventura, mas antes a resposta a uma lacuna detetada no mercado», afirma João Nuno Cruz, responsável de comunicação da Susanagateira, ao Portugal Têxtil. Lançadas em 1997, as primeiras propostas da marca de fitness nacional tinham como principal propósito apresentar a moda a um segmento dominado por uma paleta que tanto tinha de cinzenta, como de sisuda. «Todos os produtos disponíveis no mercado para a prática de fitness eram (e ainda hoje são na sua maioria) demasiado cinzentos sem alegria e sem design», sustenta.

O conceito “Fitness Fashion” da marca – reconhecido e premiado nos ISPO Brand New Awards, em 2012 – nasceria então como resposta a essa carência, integrando qualidade, rigor, ergonomia, conforto, funcionalidade e moda/design. Atualmente, Portugal é o melhor mercado da Susanagateira, mas as vendas elásticas da marca de fitness não param de crescer em França e no Japão.

Em território nacional, a marca tem nove pontos de venda Susanagateira, dois deles franchisados. Para além das lojas próprias, a aposta passa pela construção de redes sólidas de revendedores, distribuidores e agentes, aquém e além-fronteiras, bem como pela aposta no comércio eletrónico. «Cerca de 30% das vendas online são para fora de Portugal, para países muito diversos. O canal online tem vindo a ganhar protagonismo», revela o responsável de comunicação.

Com cerca de 450 encomendas mensais no universo digital, o mercado francês é o mais forte nas compras entre cliques. Já no comércio tradicional, e depois de Portugal, «que continua a ser o principal mercado da Susanagateira», o trio das vendas fica completo com a França e o Japão.

Recentemente, a marca de fitness abriu as portas de novo espaço na baixa do Porto, que tem como principal pilar a inovação no retalho. «É uma Fitness Concept Store onde, para além da roupa Susanagateira, a cliente pode encontrar um estúdio para treino pessoal, uma sala holística e dois gabinetes para serviços de nutrição, fisioterapia e osteopatia, numa oferta integrada na área do fitness», explica João Nuno Cruz ao Portugal Têxtil.

Para além das duas coleções principais, a estratégia da marca inclui a apresentação regular de novos produtos «para responder a necessidades específicas detetadas no mercado, por auscultação dos clientes ou de forma a fazer um refresh ou complemento às coleções principais», justifica João Nuno Cruz. Os exemplos mais recentes desta investida off season são a nova G-Push, «uma linha de tops desportivos com enchimento um pouco diferente dos existentes no mercado, pois proporciona verdadeiramente um efeito push-up» e a Susanagateira Bio-Active, «uma linha de seamless produzida com fios Emana biologicamente ativos e que comprovadamente reduzem o efeito visível da celulite», aponta o responsável de comunicação da marca que treina com 40 colaboradores diretos.

Ultrapassado o período marcado pela instabilidade, entre 2009 e 2011, os últimos anos foram fechados, nas palavras de João Nuno Cruz, com taxas de crescimento interessantes. Nos números da Susanagateira, o ano de 2015 foi «de alguma estagnação», devido a um ajuste em alguns projetos de exportação, mas o balanço é, ainda assim, «positivo», resume o responsável de comunicação da marca, sublinhando que o primeiro semestre de 2016 representa já o regresso «a taxas de crescimento de dois dígitos que a equipa conta reforçar durante o resto do ano».