Início Arquivo

Quem lidera nos têxteis inteligentes?

Segundo o novo relatório da Textiles Inteligence, as empresas inglesas estão transformar-se em líderes na área dos tecidos inteligentes e têxteis interactivos para vestuário electrónico. Mas um dos desafios encarados por alguns dos mais bem sucedidos players é a velocidade de atracção de capitais adicionais para expandir a sua capacidade produtiva e rapidamente satisfazer a crescente procura.O relatório identifica nada menos do que sete empresas sedeadas no Reino Unido que foram bem sucedidas na integração da sua tecnologia têxtil inteligente no vestuário e acessórios – incluindo bolsas e mochilas. Essas empresas são a Auxetix, d3o lab, Eleksen, Engineered Fibre Structures, EXO2, Fibretronic e Peratech. Muitas delas são pequenas empresas e foram criadas através de alianças com instituições académicas.Produtos de três destas empresas estão a ser usados como interface com software da Microsoft e leitores iPod da Apple. Outros produtos estão a ser vendidos por nomes bem conhecidos e apelativos para os consumidores. Marcas como Berghaus, Burton, Ermenegildo Zegna, Kjus, Levi's, Nike, O'Neill, Quiksilver, Reusch, Ribcap, Rohan, Schoeffel, Spyder, The North Face e Tommy Hilfiger estão a usar tecidos inteligentes e têxteis interactivos desenvolvidos por este restrito grupo de empresas inglesas. Uma miríade de tecnologias…Os têxteis inteligentes abarcam uma vasta gama de tecnologias. A Textiles Intelligence identificou numerosas categorias individuais, tais como o vestuário electrónico, têxteis condutores de calor, interruptores têxteis e tecidos que absorvem choques.A Eleksen é uma das empresas inglesas mais avançadas em termos comerciais que actua nesta área, e a sua impressionante performance financeira ao longo dos últimos 24 meses reflecte o seu sucesso. Na primeira metade de 2006, as suas vendas aumentaram 622% em comparação com idêntico período de 2005. Para 2007, as previsões apontam para que as vendas da Eleksen prosperem 168%, enquanto que o capital utilizado para sustentar este crescimento deverá aumentar 165%.A Eleksen tem sido bastante activa na gestão do seu portfólio de patentes de forma a proteger a sua propriedade intelectual. Até à data, a empresas registou 30 patentes, incluindo 12 nos EUA, que abarcam as suas principais tecnologias e aplicações. Além disso, tem pendente mais de 38 processos de patentes, que envolvem desenvolvimentos de interruptores flexíveis e tecnologia sensorial.Os componentes da Eleksen são usados numa diversidade de segmentos, incluindo aplicações militares e industriais. Estes componentes estão a ser aplicados numa vasta gama de produtos finais, tais como vestuário interactivo, bolsas, mochilas e caixas para controlos de comunicação e entretenimento. A tecnologia da Eleksen está também a ser integrada em teclados de computador fabricados a partir de tecidos inteligentes que podem ser enrolados e guardados no bolso interior de um blusão. … e de aplicações finaisOs tecidos inteligentes e os têxteis interactivos estão a ser utilizados numa vasta panóplia de aplicações finais, cujo número não para de crescer.Entre os numerosos exemplos, encontram-se os têxteis desenvolvidos a partir de moléculas inteligentes para evitarem ferimentos durante a prática desportiva. Durante o movimento natural do corpo, estas moléculas flúem umas sobre as outras com baixos níveis de coesão. Mas, em caso de impacto súbito, as moléculas unem-se instantaneamente para formar uma barreira protectora.Outro exemplo é o vestuário com interruptores incorporados para controlar equipamentos electrónicos como, por exemplo, iPods. Os componentes chave são têxteis inteligentes sensíveis à pressão.Os investigadores ingleses desenvolveram também um fio condutivo que pode ser tecido e convertido em luvas para controlar remotamente computadores, consolas de jogos, máquinas e outros aparelhos electrónicos.Na Escócia, um fabricante desenvolveu têxteis que mudam de cor sob tensão. Estes têxteis são auxéticos, significando que "engordam" quando esticados, ao contrário dos têxteis convencionais. Os tecidos inteligentes estão ainda a ser aplicados na protecção contra ataques de bomba terroristas, sendo capazes de absorver a energia libertada por estes engenhos explosivos.A aplicação mais usual para os tecidos inteligentes produzidos no Reino Unido é os sistemas de controlo electrónico "vestíveis". Os tecidos inteligentes estão também a ser usados em vestuário desportivo de alta performance. Os tecidos que absorvem choques desenvolvidos pela d3o chegaram ao mercado graças às alianças estabelecidas com produtores de vestuário desportivo e são utilizados em desportos como o ski, o motociclismo e o futebol, nomeadamente para luvas e caneleiras.