Início Arquivo

Queremos sensibilizar as empresas para o uso da Internet»

Manuel Teixeira, Director Geral do CENESTAP, é o grande mentor e impulsionador deste portal vertical, que já é uma referência da indústria têxtil e do vestuário na Internet. Depois dum pico inicial em que contou com cerca de um milhar de visitantes p/dia, o www.portugaltextil.com estabilizou nuns confortáveis 500 visitantes/dia. «É importante que as empresas enviem sugestões e critiquem o site», apela Manuel Teixeira, empenhado em que o portal constitua uma verdadeira ferramenta de apoio às empresas.

 

JORNAL TÊXTIL – O que é o Portugal Têxtil?

MANUEL TEIXEIRA – O Portugal Têxtil (PT) resulta de um projecto no âmbito das medidas voluntaristas do IMIT. Tem como entidade gestora a Direcção Geral da Indústria (DGI) e como entidade executora o CENESTAP. O CENESTAP foi a entidade líder na execução e depois contou com uma forte colaboração do CITEVE, principalmente nas áreas de competência chave ao nível técnico e tecnológico. O PT é um portal vertical, que é o aspecto mais visível, mas também tem uma componente de serviços, que consiste num conjunto de funções que pretende sensibilizar as empresas para o uso da Internet, dinamizar o seu uso, e facilitar o acesso e presença das empresa na Internet.

 

JT – Como pretendem facilitar a presença das empresas na Internet?

MT – O PT, neste momento, está em negociações com um conjunto de pequenas e médias empresas, espalhadas um pouco por todo o país, que desenvolvem sites para a Internet. O que nós pretendemos é chegar a um acordo com essas empresas no sentido de nos apresentarem propostas, competitivas ao nível do preço, para a construção de sites para as empresas da ITV. Escolheremos as melhores propostas e certificaremos essas empresas junto das empresas da ITV. Pretendemos que as empresas da ITV tenham nesta área fornecedores qualificados e com “bons” preços.

 

JT – Como é que está estruturado o site ?

MT – É um site – portal vertical – muito completo, tem diversas áreas de informação, e tem como principais objectivos concentrar a informação que estava completamente dispersa pelos diversos organismos, informação útil e que agora está  acessível às empresas. Por outro lado, pretendemos disponibilizar um conjunto de informação actualizada diariamente. Interessa também valorizar a informação, pois há informação importante que pelo facto de não ter sido apresentada da forma mais conveniente muitas vezes pensa-se que não tem interesse. Há que fazer a devida valorização dessa informação, realçar a que é importante e por outro lado aproveitamos para optimizar o acesso das empresas à informação. Nada melhor para fazer isto do que utilizar a Internet, que é um meio barato e que está disponível para a maioria das empresas e para a maioria dos técnicos do sector.  Ao cumprir estes objectivos, acabamos por ter um site que transmite uma imagem. A ideia também é passar através do site uma imagem (positiva), uma imagem de futuro para a sociedade em Portugal e para os mercados externos. O site acaba por estar acessível a partir de qualquer parte do mundo.

 

JT – Que tipo de informação vai ter o site?

MT – Vai ter informação da actualidade, sendo possível todos os dias aceder a notícias novas do sector, e permite, através de um sistema de gestão de arquivo, ter acesso a notícias do passado. É evidente que esse passado não é muito longínquo, estamos a falar de um passado recente, mas daqui a alguns meses, se alguém quiser fazer investigação sobre um determinado tema, poderá já encontrar um arquivo com notícias e documentos relevantes sobre o tema seleccionado. Em termos de informação, temos também disponíveis bases de dados, e bastante completas sobre empresas do sector, das mais diversas áreas. Ao nível dos estudos temos o que poderemos chamar uma biblioteca virtual. Estão disponíveis um conjunto de estudos actuais que foram feitos sobre o sector, igualmente alguns resumos de estudos que não estão disponíveis mas que identificamos onde podem ser consultados. Ao nível das estatísticas, estarão disponíveis quer de ordem estrutural quer de ordem conjuntural, desenvolvidas a partir do Observatório Têxtil do CENESTAP. Acabamos por cumprir aqui uma tarefa que já era executada pelo Jornal Têxtil, mas agora com a Internet é efectuada com mais regularidade e profundidade. Têm sido lançados mais de um estudo por semana e estamos em negociações com várias entidades para ultrapassar os problemas de direitos de autor, permitindo disponibilizar a tal informação seleccionada de interesse para o sector. Ainda está disponível informação sobre legislação e normas relevantes, que se aplicam mais directamente à ITV, quer na área do Direito do Trabalho, quer na área ambiental. Saliento, ainda, a opção dos utilitários, um conjunto de ferramentas para as pessoas que consultam o site, nomeadamente dicionários, programa de conversão de unidades, entre outros. Refira-se também a apresentação de um trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Jornal Têxtil, que são as oportunidades comerciais. O jornal angaria as oportunidades e depois disponibiliza diariamente no site.

 

JT – A informação, nas suas várias vertentes, como estudos ou notícias, é de facto fulcral neste portal…

MT – No fundo o que se pretende é que a informação seja tratada no site com grande rigor, e não colocar a informação por colocar. Temos o cuidado de valorizar e filtrar a informação e só apresentar a informação que seja verdadeiramente relevante. Só assim é que conseguimos apresentar um site que permita ajudar as empresas, com credibilidade, e proporcionar uma imagem integrada e completa da ITV. Se for um site que tenha excesso de informação, com informação que não seja interessante, as pessoas cansam-se e o que se pretende é que seja uma ferramenta muito útil ao trabalho das empresas. Útil também poderá ser o Fórum que o site proporciona, com o objectivo de fomentar o debate do sector; obviamente que os resultados dependerão da receptividade verificada. 

 

JT – Quais são as  fontes de informação?

MT – Vamos recolher a informação, em primeiro lugar à equipa de redacção do Jornal Têxtil, que produzirá notícias novas todos os dias, visíveis logo na primeira página do site. Tudo o que tem a ver com estudos e estatísticas resulta do trabalho do Observatório Têxtil, também do CENESTAP. Tudo o que tem a ver com normas e leis, quer da actividade quer dos produtos, e tecnologia, terá como principal fonte o CITEVE, nosso parceiro neste projecto. Há depois um conjunto de informações que nos é fornecida por um conjunto de instituições ligadas ao sector, nomeadamente as associações do sector, universidades, institutos públicos como o ICEP, IAPMEI, entre outros. Também temos informações que resultam de uma pesquisa em orgãos de informação nacionais (jornais diários). A partir desta análise fazemos diariamente o registo das notícias de maior interesse para o sector e desenvolvemos as mais relevantes. Depois há muita informação, tanto ao nível de notícias como de estudos que resulta dos nossos contactos internacionais com outras instituições de estudos e informação, com entidades oficiais ao nível de dados estatísticos, entre outras. Recebemos diariamente muita informação proveniente dessas entidades, trabalhamos a informação mais relevante e colocamos essa informação diariamente no Portugal Têxtil. A este conjunto de instituições nós costumamos chamar no CENESTAP a Rede Internacional de Inteligência Têxtil. É portanto um conjunto de instituições, privadas e públicas, com publicações em papel ou na Internet. Em termos de traços gerais é isto o PT. Mas o PT vai ser no futuro aquilo que as empresa querem que ele seja, e por isso é que nós apelamos à forte participação das empresas no sentido de nos enviarem sugestões para fazermos correcções e ajustes ao nosso site e melhorá-lo sempre que possível no interesse das empresas. Posso citar já um exemplo, pois nestes últimos dias uma grande empresa da ITV sugeriu que fizéssemos aqui uma bolsa de emprego, tanto a nível de estagiários como a nível de técnicos superiores. Estamos a estudar essa possibilidade e já fizemos contactos nesse sentido, e achamos que tem todo o cabimento desenvolvermos essa área no âmbito do PT.  Mas muitas outras coisas poderão ser feitas pois o site é muito amplo, mas para isso é importante a participação das empresas.

 

JT – O Portugal Têxtil é um site de negócios ?

MT – Vale a pena frisar que este site não é um site de negócios, mas um site de apoio aos negócios. Portanto é um site que se coloca no mercado numa situação paralela aos sites que têm sido apresentados na área do chamado B2B. Aliás, estamos neste momento a estudar uma parceria com um site sectorial que existe para o ITV ao nível do B2B. Estamos mesmo a ultimar um protocolo de colaboração. No fundo o PT pretende ser, com a ajuda das empresas, volto a salientar – pois é importante que as empresas enviem sugestões e critiquem o site – uma verdadeira ferramenta de apoio ao trabalho das empresas. Estão disponíveis um conjunto de contactos, nacionais e internacionais, informação diversa, legislação, estudos de “caso”, entre outros. As empresa só têm a beneficiar com este site. Naturalmente o site pode e deve evoluir, não é estático, é um processo dinâmico que depende muito das empresas, dos seus técnicos e dos empresários. A participação mais activa destes intervenientes é critica para a competitividade deste sector.