Início Destaques

R. Lobo cresce com clientes

Crescer no segmento médio/alto e diversificar a base de clientes são os objetivos da produtora de vestuário, que tem estado empenhada em oferecer não só a confeção mas também design e inovação a quem a procura.

Nuno Branco e Carla Lobo

Embora não tenha coleção própria por opção, o design ocupa um lugar relevante na estratégia de negócios da R. Lobo. A empresa de confeção, que trabalha tanto com malhas circulares como com tecidos, procura oferecer continuamente novas soluções aos seus clientes. «Sugerimos muitas propostas de design aos clientes, muitas vezes eles gostam e aceitam-nas», explica Carla Lobo, administradora da empresa.

Na mais recente apresentação, na Première Vision Manufacturing Proximity, em Paris, as propostas da R. Lobo centraram-se em peças mais elaboradas, com acabamentos tie-dye e em matérias-primas mais sustentáveis, nomeadamente algodão e poliéster reciclados. «Há já muito tempo que nos pedem isso, mas agora é permanentemente. Acho que 95% dos clientes que entraram aqui [no stand da Première Vision] pediram produtos orgânicos e reciclados», revela ao Jornal Têxtil.

Também nesta área, a empresa tenta ser inovadora. «Temos procurado comprar e sugerir aos clientes matérias-primas mais sustentáveis. Os clientes têm aderido bem a essas nossas sugestões. Trabalhamos também com parceiros que partilham dessa preocupação, desde estamparias a tinturarias, e tentamos sugerir aos nossos clientes processos de fabrico, designadamente de tinturaria e acabamentos, mais ecológicos e mais preocupados com o ambiente. E os clientes, de uma forma geral, reagem bem a isso», afirma Carla Lobo.

Ganhar o norte

França e Alemanha são, atualmente, os principais mercados da R. Lobo e estão a crescer. «Estão a evoluir favoravelmente, angariamos mais clientes nessas áreas. E como temos alguma experiência nesses países, trabalhamos um bocadinho as nossas propostas focadas nesses segmentos», indica a administradora da empresa, que tem uma quota de exportação de 95%.

Os próximos passos na internacionalização encaminham-se agora para norte. «Gostamos muito de trabalhar com os países nórdicos e já temos presença há muitos anos no mercado sueco. É um mercado que gostaríamos de aumentar», confessa.

O objetivo é angariar clientes do segmento médio/alto, «que se mantenham fiéis, cresçam connosco, vejam a R. Lobo como um bom parceiro que lhes apresenta soluções que vão de encontro àquilo que eles precisam», aponta Carla Lobo. Uma meta que tem sido alcançada paulatinamente. «É isso que temos sentido em alguns clientes, que não começam muito grandes mas que depois, ao longo dos anos, vão crescendo e mantendo-se connosco. E nós também crescemos com eles, acho que isso é extremamente importante», assegura a administradora.

Para 2019, contudo, os horizontes não passam pelo crescimento. «O ano passado foi francamente positivo, crescemos em relação ao ano anterior. 2019 é um ano um bocadinho mais exigente. Não haverá crescimento das vendas, estamos a tentar consolidar os resultados obtidos até agora», conclui Carla Lobo.