Início Notícias Tecnologia

Ralph Lauren revoluciona tingimento de algodão

A marca americana vai disponibilizar, até ao final do ano, uma plataforma tecnológica disruptiva na forma como a indústria de moda tinge o algodão – que usa menos químicos, água e energia e reduz as emissões de CO2 –, mais sustentável para o sector e para o planeta.

[©Ralph Lauren]

A Ralph Lauren anunciou que está a trabalhar com a Dow para acelerar a adoção da “Color on Demand”, um conjunto multifásico de tecnologias que tem como objetivo oferecer o primeiro processo, a nível mundial, de tingimento de algodão escalável sem água residual.

«Em colaboração com a Dow, que tem sido uma das nossas parceiras no desenvolvimento desta tecnologia, elaborámos um manual muito detalhado para a indústria, para permitir a adoção e também acelerar a mudança», revelou Patrice Louvet, presidente e CEO da Ralph Lauren no Bloomberg Green Summit, citado pelo Sourcing Journal.

A “Color on Demand”, segundo a marca, não só vai reduzir drasticamente a quantidade de produtos químicos, corantes, tempo e energia necessários para o tingimento de algodão, mas também, «pela primeira vez na indústria», proporcionar uma solução mais eficaz e sustentável para dar cor ao algodão em qualquer fase do processo produtivo – e não apenas no início. Isto reduzirá os prazos de tomada de decisão sobre as cores dos produtos, salienta a Ralph Lauren.

O manual, que estará disponível gratuitamente no final do ano, foca-se em como as empresas podem otimizar o Ecofast Pure, uma solução de pré-tratamento desenvolvida pela Dow para têxteis de algodão que, de acordo com a empresa, consome até menos 40% de água, menos 85% de produtos químicos, menos 90% de energia e emite menos 60% de dióxido de carbono em comparação com os métodos convencionais.

A união faz a força

Embora a moda seja geralmente sobre «competitividade e exclusividade», afirmou Patrice Louvet, proteger o planeta requer «quebrar barreiras» e «unir-se» com soluções compartilhadas. «É por isso que sentimos que era importante partilhar com a indústria o que aprendemos e o que criamos», reconheceu. «A nossa esperança e expectativa é vermos uma adoção vasta, para que todos juntos como indústria possamos transformar a gestão da água onde quer que operemos. E que isso sirva também como um catalisador para mais inovações como esta, que impactem positivamente tanto a nossa indústria como o planeta», admitiu o presidente e CEO da Ralph Lauren.

[©Ralph Lauren]
A “Color on Demand” faz também parte de um compromisso mais amplo da marca para eliminar o uso de produtos químicos perigosos e reduzir o consumo de água ao longo da cadeia de aprovisionamento. A Ralph Lauren refere ainda que pretende aplicar a plataforma em mais de 80% dos produtos de algodão até 2025.

O programa é uma iniciativa do grupo americano. Outras fases da plataforma deverão incluir colaborações como a especialista em acabamentos sustentáveis Jeanlogia, a gigante química Huntsman Textile Effects e a fabricante de equipamentos de mistura Corob para «desafiar os paradigmas tradicionais» e criar «soluções disruptivas».

«Somos claramente mais fortes juntos E acho que este exercício e este programa são uma ilustração disso», assumiu Patrice Louvet. «Espero que tenhamos mais programas como este, onde nos questionamos “e se” e estamos a fazê-lo em parceria com toda a indústria», concluiu.