Início Notícias Marcas

Reciclar, reaproveitar e reutilizar com alma

Com um design feminino, minimalista e effortless, a Alma oferece coleções-cápsula produzidas em pequenas quantidades, assegurando assim a exclusividade. A marca de vestuário aposta em materiais reciclados e utiliza stocks mortos de tecidos para criar peças intemporais e duradouras.

[©Alma]

Mariana Capão Filipe e Frederica Quintas e Sousa são duas amigas na casa dos 20 anos que, há cerca de dois anos, equacionaram lançar uma marca quando uma desafiou a outra a criarem um projeto conjunto.

«Sendo a Mariana formada em Estratégia de Marketing e Comunicação e estando eu numa área criativa, formada em Arquitetura e stylist freelancer por gosto, fazia todo o sentido juntarmos as nossas áreas de formação e competências pessoais para criarmos a Alma. Após bastante brainstorming e identificação de uma lacuna no mercado, criámos o conceito da nossa marca, que foi lançada em maio de 2021», explica Frederica.

Caracterizada para um público feminino que vai dos 25 aos 40 anos, a Alma oferece coleções-cápsula produzidas em pequenas quantidades de forma a garantir exclusividade. O design é feminino, minimalista e effortless, e o corte de alta qualidade, originando peças intemporais e duradouras.

[©Alma]
[©Alma]
«Escolhendo as peças que mais gostamos, podemos construir a nossa própria cápsula, com roupa que podemos reutilizar e não apenas respondendo a tendências de passagem. São peças que permitem refletir quem somos, a nossa Alma», afirma ao Portugal Têxtil.

Até à data, a marca lançou uma coleção, a Capsule One, composta por 12 peças fabricadas a partir de materiais reciclados ou sustentáveis, sendo que muitos dos tecidos usados provêm de stocks mortos, ou seja, «reaproveitámos restos de coleções passadas, evitando abrir novas linhas de produção», destaca a cofundadora.

A coleção, as embalagens e as etiquetas são produzidas no norte de Portugal, «o que, por um lado, nos permite apoiar a economia local e, por outro, encurtar a cadeia de transporte», aponta.

Foco na expansão

Apesar de ainda estar numa fase inicial, a Alma tem recebido um «feedback extremamente positivo», superando as expetativas das fundadoras, que estão já a trabalhar na segunda coleção, a ser lançada em breve.

[©Alma]
[©Alma]
«Ao longo do ano, estivemos presentes em eventos e mercados, nomeadamente no Local Goes Global em Londres, em setembro, no Brand Up do Portugal Fashion, em outubro, e no Et al. no Porto, em novembro, para além de termos realizado a nossa própria pop-up store no segundo fim-de-semana de setembro, no Porto», revela Frederica Quintas e Sousa.

Para já, as coleções da Alma podem ser encontradas no próprio website e na plataforma multimarca portuguesa Cale Lab, mas o objetivo é «estar presente, em breve, em lojas físicas tanto no Porto como em Lisboa», adianta a empresária.