Início Arquivo

Reflashion dá o mote

Miguel Vieira abre o certame no dia 9, sendo seguido de Alexandra Moura, Lidija Kolovrat e Alves.Gonçalves, esta última numa localização privada. Dia 10 é a vez de subirem à passerelle as criações da dupla Pedro Pedro, Dino Alves, Cia. Marítima e Ana Salazar. O fim-de-semana serÁ igualmente muito concorrido, com os desfiles de José António Tenete, Ricardo Preto, Aforest-Design, Katty Xiomara, White Tent, Nuno Baltazar e Luís Buchinho, no sÁbado, e Aleksandar Protich, Nuno Gama, Lara Torres, Ricardo Dourado, Pedro Mourão e Filipe Faísca, no domingo. Mais do que apenas a apresentação das novas colecções, a ModaLisboa|Estoril afirma-se também, nesta edição, como centro de ideias e de reflexão sobre a moda. “Reflashion” – o mote para os quatro dias do evento – é também uma oportunidade única para reflectir sobre o design de moda, numa conferência patrocinada pela Nokia e organizada pela ModaLisboaIEstoril em parceria com a Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa. Susana Cabrito, Filipa Homem, Joana Jorge, Miguel Flor e Sara Lamúrias são os rostos do sucesso português, com provas dadas no mundo do design e da moda. Todos foram lançados no Sangue Novo da ModaLisboa e voltam agora ao ponto de partida para debaterem “as modas da moda”, num evento aberto ao público. Como complemento a esta conferência, baptizada de Nokia Lab.Life, que irÁ ter lugar nos dias 10 e 11 de Outubro no Auditório do Centro Cultural de Cascais, a ModaLisboa|Estoril conta ainda com a exposição da colecção de t-shirts Nokia Lab.Life, uma edição limitada de modelos desenhados pelos conferencistas convidados, tendo como inspiração a nova colecção Nokia Supernova que serÁ lançada na imprensa no dia 9 de Outubro. A inovação e as novidades são, de facto, o ponto forte desta edição da Moda Lisboa|Estoril, e a prova é o projecto Combo, uma iniciativa que apresenta cinco objectos desenvolvidos para intervir em cinco lojas de comércio tradicional: uma drogaria, uma mercearia, uma florista, uma pastelaria e uma livraria. O projecto da responsabilidade da Aforest-Design inclui ainda uma vertente social, jÁ que os objectos foram produzidos no estabelecimento prisional de Tires. Mais um bom motivo que promete arrastar multidões e fazer convergir todos os fashionistas e interessados na moda e design à Cidadela de Cascais.