Início Arquivo

Regresso ao futuro

é uma autêntica viagem ao futuro a que o Jornal Têxtil fez na Techtextil 2009. Sem máquina do tempo, recorrendo apenas a um forte investimento em I&D, as empresas presentes mostraram credenciais e mesmo sem o Dr. Emmett Brown e o De Lorean, levaram-nos até ao “amanhã” da indústria têxtil e de vestuário. Um futuro que também já é conjugado no presente em Portugal, como provaram as 11 nacionais que deram cartas de inovação e negócio em Frankfurt. De regresso esteve também o Nautical Showcase, que levantou as amarras do Modtissimo e navegou até à Techtextil, onde repetiu o sucesso. Com os olhos postos no futuro está também Paula Borges. Em entrevista ao Jornal Têxtil, a administradora da Paula Borges Company revela as opções estratégicas e os factores de sucesso que lhe têm permitido expandir a marca própria e trabalhar com alguns dos maiores nomes da moda internacional. De futuro faz-se também o Citeve que, com 20 anos recém festejados, está já a pensar nas comemorações dos 40. Braz Costa, director-geral do Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, faz nesta edição do jornal uma visita guiada pelas valências, pelos projectos e pelas ambições de um centro tecnológico voltado para as empresas. Portugal é, de resto, um país de exploradores e de viagens, como mostram as participações nacionais nas feiras internacionais. Valência (Fimi), Roma (Ambiente Italia) e Tóquio (Interior Lifestyle) foram algumas das escalas feitas pelas empresas da ITV portuguesa, que preparam já novos destinos: Florença (Pitti Filati), Las Vegas (Magic) e Paris (Mode City e Interfilière). Também A Casa do Bebé tem feito muitas paragens internacionais. A empresa dedicada à criação e comercialização de artigos de têxteis-lar para bebé e criança não se cinge ao território nacional e vende também em mercados como Espanha, França e Inglaterra. E a alargar a sua gama de produtos e de influência está igualmente a Sonne Butti. A marca portuguesa de vestuário feminino exporta já para Espanha e Itália mas, no futuro, quer chegar a mais mercados europeus e conquistar países em áfrica, os EUA, os Países de Leste e os Países árabes. Por todo o mundo e sem meter água estão as empresas e marcas que se dedicam à ao desenvolvimento de fatos de natação para competição, que só no último ano, e quase indiferentes às várias polémicas, ajudaram os nadadores profissionais a pulverizar todos os recordes. Jaked, Arena, Tyr e Speedo continuam na linha da frente e já gravaram a ouro o seu nome na história da modalidade. No Jornal Têxtil de Julho/Agosto faça o périplo por alguns dos nomes internacionais da indústria têxtil e de vestuário e conheça as apostas de distribuição de algumas das empresas de lingerie e de têxteis-lar, assim como as estratégias delineadas pela Armani Casa, New Look e a recém-recuperada Morgan para trocarem as voltas à crise e continuarem a prosperar. Rita Bonaparte quer também manter-se à frente, com uma colecção de moda que aposta na reciclagem. A criadora portuguesa está igualmente a preparar incursões em novas áreas, como a marroquinaria, o vestuário infantil e o vestuário para homem. Quem se está a aventurar em novos horizontes é Nuno Baltazar que, em parceria como arquitecto Vítor Almeida, apresentou a primeira colecção de decoração para a casa, baptizada «Baltazar|Map». A viagem ao futuro completa-se com a revelação das tendências dos têxteis-lar para a próxima estação fria, a moda de Lagerfeld para a Primavera-Verão 2010, a análise de diferentes mercados e o novo projecto da Dim – collants reciclados. Pelo meio, há ainda outras paragens que poderá ficar a conhecer directamente a partir de sua casa ou da sua empresa. Se ainda não recebe o seu “passaporte” para viajar ao futuro do sector, pode fazer facilmente a sua inscrição aqui.