Início Notícias Moda

Regresso ao passado

Para a estação mais fria do ano, a semana da moda masculina em Londres propôs propostas atrativas e confortáveis para os homens mais conservadores, como roupa arriscada para aqueles que já não tem medo de fazer um fashion statement. Esta temporada, tanto marcas conceituadas como novos talentos da moda masculina apresentaram peças aconchegantes com um certo ar folk a lembrar os anos 70, ideais para o tempo frio, como os casacos oversized com golas de pelo de ovelha da Topman ou os casacos de camurça de Margareth Howell. Christopher Bailey seguiu a tendência do folk e deu à nova coleção Burberry um ar mais boémio, com cores ricas e quentes, imensos padrões e até franjas nas bainhas dos lenços – que podem ser personalizados com iniciais. Pensando nas temperaturas baixas, a Moschino, pelas mãos do excêntrico Jeremy Scott, deixou claro que dança ao som da sua própria música e mostrou uma coleção peculiar e muito divertida. Por entre neve falsa que caía sobre a passerelle, os modelos desfilavam com casacos volumosos, botas de ski luxuosas e peças com padrões leopardo. A incorporação de elementos culturais militares, das artes marciais e técnicas de combate também revelam-se muito popular para o outono-inverno 205/2016. Os modelos de Rory Parnell-Mooney exibiram máscaras inspiradas em guerreiros doutra época. Maharishi optou por chapéus de basebol pretos para esconder as caras dos modelos como de ninjas se tratassem. Atravessando o Oceano Atlântico para apresentar a sua primeira coleção para homem, a Coach foi pelo caminho mais convencional da tendência e apresentou casacos estilo militar, bombers de cabedal, com as cores castanho e verde tropa a dominarem. Destaque para o desfile de Alexander McQueen, onde as silhuetas de uniformes militares se destacarem pela elegância dos casacos e dos fatos – que parece ser facto recorrente por várias marcas como Joshua Kane, Hackett London Menswear ou Dunhill, por exemplo – e pelas mensagens antiguerra que ostentavam nos sobretudos e blazers. A ideia que transpareceu dos desfiles da “London Collections: Men” para a próxima estação fria é que a indústria do vestuário masculino está cada vez mais rica e ousada. As influências podem vir dos anos 70, mas estas roupas são para serem usadas pelos homens de hoje.